Tecnologia: UIT diz que número de celulares no mundo passou dos 7 bilhões em 2015

Tecnologia: Números de celulares no mundo já passou de 7 bilhões em 2015, revela UIT
Números de celulares no mundo já passou de 7 bilhões em 2015, revela UIT

 

 

A União Internacional de Telecomunicações, UIT, anunciou esta terça-feira, que o número de celulares em uso no mundo passou de 7 bilhões. Segundo a agência da ONU, em 2000 o número de aparelhos celulares era de 738 milhões.

 

O relatório da UIT mostrou também que atualmente 3,2 bilhões de pessoas no mundo têm acesso à internet, sendo que a maioria nos países em desenvolvimento.

 

 

Alcance

 

 
Nos últimos 15 anos, o alcance da internet passou de 6,5% para 43% da população global. O acesso de casa passou de 18% em 2005 para 46% agora.

 

 

 
Apesar desse progresso, a União Internacional de Telecomunicações alerta que 4 bilhões de pessoas no mundo não estão conectadas à internet.

 

 

 
O secretário-geral da agência, Houlin Zhao, afirmou que “esses novos números mostram não só o rápido progresso tecnológico mundial mas ajudam a identificar os que estão ficando para trás e onde os investimentos são mais necessários”.

 

 

 

Zhao disse que “as tecnologias de informação e comunicação, TICs, vão ter um papel mais significativo no pós-2015 para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

 

 

 

3G

 

 

 
O relatório da UIT mostra ainda que o alcance da tecnologia 3G chega agora a 69% da população global, inclusive nas áreas rurais que são de mais difícil acesso.

 

 

 

As linhas fixas estão crescendo em ritmo lento, com uma média anual de 7% desde 2012.

 

 

 

A boa notícia, segundo a UIT, é que os preços cobrados pelo acesso à banda larga estão mais acessíveis em 111 países.

 

 

 
O problema continua sendo a disparidade entre a velocidade de navegação da banda larga. Em alguns países como a Coreia do Sul e a França, a velocidade supera os 30 megabytes por segundo. No Brasil, por exemplo, a rapidez de acesso da maioria dos usuários chega a 2 megabytes por segundo.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Rádio ONU em Nova York