Tecnologia – Huawei ICT Competition 2018-2019: Ex-aluno da Fatec de Jaú disputa torneio de tecnologia da Huawei no México

Caio Bussacarini se prepara para o embarque ao lado do diretor da Fatec Jahu, Robson Antonio Moreira – Foto: Divulgação

 

 

O ex-estudante do curso superior tecnológico de Gestão da Tecnologia da Informação da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Jahu, Caio Bussacarini, embarcou para a Cidade do México no domingo (31/03) para disputar a etapa latino-americana da Huawei ICT Competition 2018-2019. Ele é um dos seis finalistas brasileiros na competição organizada pela Huawei, empresa chinesa que atua no setor de infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação (TIC) e dispositivos inteligentes.

 

 

O desafio consiste em uma série de fases na configuração e instalação avançada de redes de telecomunicação, utilizando switches, roteadores, firewalls e outros equipamentos. Os vencedores serão classificados para a final mundial do torneio, prevista para o mês de maio, em Shenzen, na China. Os finalistas poderão conhecer os laboratórios de pesquisa e desenvolvimento da sede global da companhia, além de receber certificações e brindes. Na última edição, o programa envolveu cerca de 40 mil estudantes de 32 países.

 

 

 

“A competição será uma oportunidade para adquirir novos conhecimentos, sobretudo, em equipamentos de engenharia de rede de telecomunicações, setor em que a empresa vem crescendo exponencialmente no mundo”, explica Caio, que, apesar de formado há dez anos, ainda mantém vínculo com a Fatec. Ele integra um grupo de estudos formado por alunos, ex-alunos e professores sobre soluções de problemas em configurações de redes.

 

 

 

Top nacional

 

 

 

O jovem foi selecionado para disputar o desafio no México após participar de um torneio, realizado em fevereiro, entre os 50 melhores colocados do Brasil. “No dia seguinte à prova prática, recebi a ligação do diretor responsável pela organização do evento, dizendo que eu estava entre os seis finalistas que iriam para o México. Não esperava. Pensei até que fosse trote”, conta. “Meu objetivo era ganhar o voucher para realizar uma prova de certificação tecnológica oferecida gratuitamente aos participantes. Não tinha pretensão de terminar entre os melhores. Talvez, por isso, consegui ficar tranquilo para resolver as propostas.”

 

 

 

Ao ser questionado se usará a mesma tática no México, Caio pondera: “Antes eram simuladores individuais, agora, vamos trabalhar em equipe, utilizando equipamentos reais. As provas serão mais complexas e o grupo já está se preparando, trocando informações, debatendo temas e possibilidades de atuação para encarar os desafios.”

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza