Tecnologia: Hora oficial terá um segundo a mais no último dia do ano de 2016.

Hora oficial terá um segundo a mais no último dia do ano de 2016.

 

 

Neste sábado (31), último dia do ano, o Observatório Nacional (ON) fará ajuste de um segundo entre a velocidade de rotação da Terra e a hora oficial do planeta. A ação, realizada para corrigir uma pequena defasagem, também é conhecida como fenômeno “leap second” (segundo intercalado, na tradução do inglês).

 

 

 

 

“O leap second consiste em acrescentar um segundo em todos os relógios atômicos do mundo. Quando a diferença entre o tempo solar acumula um segundo, temos que fazer o ajuste no relógio para ficar o mais próximo possível do tempo do Sol. No dia 31 de dezembro, todos os relógios atômicos do mundo ganharão um segundo a mais”, explica o chefe da Divisão Serviço da Hora (DHSO) do Observatório Nacional, Mário Fittipaldi.

 

 

 

 

De acordo com o Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e comunicações (MCTIC), o fenômeno ocorre por causa das variações no acúmulo dos dias, alterações na velocidade de rotação da Terra, e efeitos gravitacionais do Sol, da Lua e dos planetas. Terremotos, deslocamentos de massas de terra e outros fenômenos também interferem.

 

 

 

 

Segundo Fittipaldi, um erro nessa escala de segundo ou, simplesmente, deixar de ajustar os relógios do mundo pode gerar consequências desastrosas, afetando o uso da internet, a navegação marítima e até o mercado financeiro.

 

 

 

 

“Se não tomar os devidos cuidados, pode causar muitos problemas para diversos setores. Por exemplo, temos serviços de sincronismos certificados. A hora tem rastreabilidade com a do Observatório Nacional. Se nesse período de inconsistência da hora em um segundo, alguém fizer uma transação eletrônica e tiver variação de segundo, o banco e o usuário poderão ter problemas no registro da transação”, informa.

 

 

 

 

Para saber a hora certa, basta acessar esta página e clicar no link “acerte seu relógio”. Também está disponível na internet a Rádio DSHO/ON, que oferece os enunciados de dez em dez segundos da Hora Legal Brasileira, de acordo com o respectivo fuso horário de cada região do território nacional.

 

 

 

 

Relógio atômico

 

 

 

Desde 1967, a definição internacional do tempo baseia-se em um relógio atômico, assim como os relógios, satélites e aparelhos de última geração. Seu funcionamento, como o próprio nome diz, depende do uso de átomos. No Brasil, são utilizadas partículas atômicas de Césio 133.

 

 

 

 

Desde 1850, o Observatório Nacional tem a responsabilidade de preservar, disseminar e dar manutenção da Hora Legal Brasileira (HLB). O País conta com o funcionamento contínuo de 11 relógios atômicos.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do MCTIC