Tecnologia: Hackers invadiram sistema de transportes de São Francisco e exigiram resgate.

Hackers invadiram sistema de transportes de São Francisco e exigiram resgate.
Hackers invadiram sistema de transportes de São Francisco e exigiram resgate.

 

No fim de semana passado, a população da cidade norte-americana de São Francisco pôde andar de transporte público de graça. No entanto, o episódio não aconteceu devido a uma boa ação da prefeitura do município californiano, mas sim de um ataque de hackers.

 

 

 

 

A Agência Municipal de Transportes, a Muni, responsável pelos ônibus, metrô, trens e pelos famosos bondinhos da cidade, sofreu na última sexta-feira (25) um ataque “ransomware”, onde um vírus malware faz um determinado sistema de informática “refém” permitindo com que os hackers peçam uma quantia para o seu “resgate”, ou seja, para que o sistema volte a funcionar normalmente, devolvendo a possibilidade de acesso para os donos da companhia. De acordo com o site “SFGate”, desde sexta os cidadãos de São Francisco estão podendo usar o transporte público sem pagar nada por que, após o bloqueio dos sistemas da Muni, as bilheterias automáticas foram desligadas por precaução.

 

 

 

 

Nos terminais dos funcionários, apareceu a mensagem “Vocês foram ‘hackeados’, todos os dados foram criptografados”. Além disso, a mensagem ainda conta com o endereço de um site de domínio russo no qual deveria ser feito o pagamento do “resgate”.

 

 

 

 

 

Segundo o site “Hoodline”, os hackers exigiram uma recompensa de 100 Bitcoins, uma quantia da moeda virtual que equivale a cerca de US$ 73 mil. Este ataque não é o primeiro exemplo do perigo do “ransomware”, que escolhe como alvo não apenas usuários individuais, mas também organizações e empresas.

 

 

 

 

No meio deste ano, uma clínica de Los Angeles foi inteiramente paralisada por um ataque do tipo, obrigando os médicos e enfermeiros a usarem papel e caneta para atenderem os pacientes. De acordo com a companhia de segurança Check Point Software Tecnologies, os ataques “ransomware” aumentaram de modo exponencial em todo o mundo. A Itália, por exemplo, sentiu esse crescimento e se tornou a quarta nação europeia com o maior número desses ataques e a 41ª em nível mundial.

 

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da ANSA