Tecnologia: Embrapa realiza workshop sobre polinização na agricultura

Abelha visitando flor de castanha-do-brasil - Foto: Ronaldo Rosa
Abelha visitando flor de castanha-do-brasil – Foto: Ronaldo Rosa

 

 

 

O município paraense de Tomé-Açu, importante polo da fruticultura paraense, é o terceiro do Brasil a receber o 1º Workshop sobre Polinização na Agricultura – Preservando a diversidade e avançando para o futuro. O evento ocorre nesta sexta-feira (22) e é promovido pela Embrapa, como resultado da Rede de Pesquisa da Polinização da Castanheira-do-Brasil, do Projeto Polinizadores do Brasil.

 

 

Os polinizadores, como abelhas e outros animais, são responsáveis por pelo menos três quartos (75%) das culturas do mundo, que dependem da polinização para se desenvolver e gerar frutos. No caso da produção de frutas, o papel dos polinizadores é ainda mais importante, conforme explica a pesquisadora da Embrapa, Márcia Maués, coordenadora do evento. “Alimentos como a castanha-do-brasil e o açaí, por exemplo, não estariam nas mesas paraenses sem a atuação das abelhas na polinização de suas flores”, enfatiza.

 

 

 

 

No Pará, a fruticultura figura entre as atividades econômicas mais importantes do estado, ficando atrás apenas da mineração, madeira e pecuária. Nesse cenário, o município de Tome-açu se destaca com o cultivo de fruteiras nativas e os Sistemas Agroflorestais (SAFs), com as produções de castanha-do-brasil, cacau, açaí, cupuaçu, acerola, taperebá, caju, maracujá, bacuri, além de diversas essências florestais. “Todas essas plantas dependem de polinizadores para que ocorra a formação dos frutos e sementes. É fundamental ainda a conservação das áreas de vegetação nativa no entorno das áreas cultivada para garantir a presença dos polinizadores que irão atuar nas áreas agrícolas, mas pouco se conhece sobre esse assunto”, fala a pesquisadora.

 

 

 

 

O workshop tem como objetivo divulgar a importância da polinização para a agricultura e falar sobre formas de uso dos polinizadores, principalmente as abelhas, nas áreas cultivadas e também explicar como as áreas naturais ajudam na conservação desses agentes polinizadores.

 

 

 

 

Pretende-se ainda discutir os novos rumos a serem tomados diante da necessidade de se manter a sustentabilidade, conciliando a produção de alimentos com a conservação de áreas naturais e dos polinizadores.

 

 

 

Participam como palestrantes pesquisadores da Embrapa das Unidades Amazônia Oriental, Amazônia Ocidental, além das Universidades Federais de São Carlos (UFSCAr) e Ceará (UFC).

 

 

 

O workshop sobre Polinização na Agricultura integra o projeto Polinizadores do Brasil e já foi realizado nos municípios de Fortaleza (CE), Araras (SP) e após Tomé-açu, segue para Petrolina (PE).

 

 

 

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no local do evento. Podem participar produtores rurais, profissionais, estudantes de agronomia, zootecnia, biologia e áreas afins.

 

 

 

Polinizadores do Brasil – O projeto tem como objetivo conhecer melhor os polinizadores e a importância do processo de polinização no desenvolvimento da agricultura. Aborda sete culturas importantes no Brasil: algodão, caju, canola, castanha-do-brasil, maçã, melão e tomate. Por meio do projeto, planos de manejo, publicações científicas, educativas e vídeos foram produzidos para produtores rurais e também para criadores de abelhas.

 

 

 

No Pará, o projeto visita Tomé-açu, pois o município concentra uma das poucas áreas cultivadas com castanha-do-brasil do país, com destaque para os sistemas agroflorestais (SAFs). O projeto é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, Embrapa e Universidade de São Paulo (USP) e está Inserido em uma iniciativa internacional da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), financiada pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF – Global Environmental Facility) e que tem o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) como agência responsável pela execução.

 

 

 

 

Serviço:
1º Workshop sobre Polinização na Agricultura: preservando a diversidade e avançando para o futuro.
Data: 22 de maio de 2015.
Horário: 8 às 15h
Local: Auditório da Associação Cultural e de Fomento Agrícola de Tomé-Açu (ACTA)
Público alvo: Produtores rurais, profissionais, estudantes de agronomia, zootecnia, biologia e áreas afins.
Informações:
Núcleo de Comunicação da Embrapa Amazônia Oriental – NCO
Telefone: (91) 3204-1213. E-mail: [email protected]
Camta/ Tomé-Açu – (091) 3734-1352 e-mail: [email protected]

 

 

 
Da Redação com informações da Amazônia Oriental