Tecnologia – Embrapa: Luz ajuda a quantificar presença de fósforo em fertilizante orgânico e inorgânico

Pesquisadora no Laboratório de Óptica e Fotônica - Foto: Flávio Ubiali
Pesquisadora no Laboratório de Óptica e Fotônica – Foto: Flávio Ubiali

 

 

 

Técnica que analisa a luz emitida das amostras tem se apresentado como promissora, rápida e acessível para quantificar a presença de fósforo em fertilizante orgânico e inorgânico, o que atualmente é um desafio para as agências reguladoras que querem controlar a qualidade dos insumos e evitar fraudes.

 

 

O fósforo é um dos elementos mais importantes para a agricultura, principalmente em solos tropicais. No entanto, as reservas mundiais são limitadas e concentradas em poucos países, fato que é agravado pela redução nas rochas industriais nas últimas décadas. Novos adubos à base de resíduos orgânicos e de mistura de fontes orgânicas e minerais de fósforo estão disponíveis no mercado. No entanto, detectar a quantidade tanto do orgânico como do inorgânico ainda é uma tarefa que exige longos processos de análise laboratorial.

 

 

 

 

“Assim, o desenvolvimento de um método que possa avaliar a quantidade de fósforo em amostras de fertilizantes orgânicos e inorgânicos, de um modo rápido e de baixo custo de análise, pode promover um grande impacto ambiental e econômico” diz a pesquisadora Débora Milori que trabalha com a técnica Espectroscopia de Emissão Óptica com Plasma Induzido por Laser (LIBS), siglas em inglês.

 

 

 

 

Com LIBS é possível analisar amostras nos estados sólido, líquido e gasoso e com uma única medida detectar todos os elementos de maneira simultânea.

 

 

 

 

A quantificação do fósforo em fertilizantes é uma das aplicações dessa técnica que a pesquisadora apresentou no dia 16 durante o workshop Light: Life & Science que ocorreu na Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

 

 

 

 

Em experimentos realizados na Embrapa Instrumentação (SP), o emprego do LIBS, que avalia a emissão de luz oriunda de átomos em um plasma, que foram retirados da amostra por meio da interação com um laser de alta energia, demonstrou bom funcionamento. O estudo analisou 26 amostras de fertilizantes, sendo cinco de rochas fosfáticas, três de minerais e 18 de adubo orgânico.

 

 

 

 

O experimento teve como objetivo o desenvolvimento de uma metodologia de análise utilizando LIBS para quantificar o Fósforo em fertilizantes orgânicos e inorgânicos. ” A ideia é implementar uma metodologia para a realização de medições in situ em fertilizantes, conta a pesquisadora.

 

 

 

 

 

Débora ainda vai abordar o emprego das técnicas no diagnóstico precoce de doenças em citrus, como em greening, análise da composição química de solos, de matéria orgânica, além de apresentar pesquisas desenvolvidas em instrumentação para beneficiar a agricultura.

 

 

 

Know-how

 

 

 

A Embrapa Instrumentação possui 15 anos de experiência na aplicação de técnicas fotônicas voltadas para análises de materiais de interesse do agronegócio dentro do Laboratório de Óptica e Fotônica.

 

 

 

 

Além disso, mantem parcerias no tema com universidades brasileiras e estrangeiras, como a Universide de São Paulo (USP), UFSCar, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), University of Florida e Université du Sud Toulon-Var (França); centros de pesquisa nacionais e internacionais, como o Instituto Agronômico (IAC) – Centro APTA Citros ‘Sylvio Moreira’, Agricultural Research Service – ARS (Estados Unidos), Istituto di Metodologi e Inorganiche e dei Plasmi (Itália) e o International Potato Center (Peru); e empresas do setor privado: MM Optics, Citrosuco e Terral.

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências de Notícias e de Joana Silva – Embrapa Instrumentação