Tecnologia: Zuzu Angel é tema de doodle do Google em seu 94º aniversário.

A estilista brasileira Zuzu Angel é homenageeada com um doodle pelo Google em seu 94º aniversário.
A estilista brasileira Zuzu Angel é homenageeada com um doodle pelo Google em seu 94º aniversário.

 

 

A estilista brasileira Zuzu de Angel recebe uma importante e relevante homenagem da gigante Google, que através de um doodle lembra a passagem de seu 94º aniversário. Zuleika de Souza Netto era natural da cidade mineira de Curvelo. Casou-se com o norte-americano Normal Angel Jones e estabeleceu-se no Rio de Janeiro, onde montou um ateliê em sua própria casa. Teve seu talento reconhecido ao misturar elementos da cultura brasileira ao vestuário de modelagem simples, mas contemporâneo. Usou rendas, bordados e pedrarias. Zuzu de Angel viveu uma saga para denunciar o desaparecimento do filho Stuart Angel Jones pelo regime militar na década de 1970, usando sua arte para protestar contra a ditadura dentro e fora do país e morreu em um acidente de carro, com causa pouco esclarecida.

 

 

Saiba um pouco mais sobre Zuzu de Angel

 

 

Zuzu Angel
Zuzu Angel

 

 

Zuleika de Souza Netto era natural da cidade mineira de Curvelo, nasceu em 1921. Morou em Belo Horizonte, onde já demonstrava suas habilidades ao fazer roupas para as primas, e na Bahia até que se estabeleceu, em 1947, no Rio de Janeiro, onde viveu até sua morte. Na década de 50, assumiu a profissão de costureira, e ,em 1970, abriu uma loja em Ipanema e passou a realizar desfiles, inclusive fora do Brasil.

 

 

 

Zuzu Angel teve seu talento reconhecido ao misturar elementos da cultura brasileira ao vestuário de modelagem simples, mas contemporâneo.
Zuzu Angel teve seu talento reconhecido ao misturar elementos da cultura brasileira ao vestuário de modelagem simples, mas contemporâneo.

Mineira da cidade de Curvelo, Zuleika Angel Jones nasceu em 1921. Morou em Belo Horizonte, onde já demonstrava suas habilidades ao fazer roupas para as primas, e na Bahia até que se estabeleceu, em 1947, no Rio de Janeiro, onde viveu até sua morte. Na década de 50, assumiu a profissão de costureira, e ,em 1970, abriu uma loja em Ipanema e passou a realizar desfiles, inclusive fora do Brasil.

 

 

 

 

Foi pioneira ao promover sua marca nas próprias roupas, expondo-a na parte externa das peças. Simplicidade, feminilidade, cores tropicais, mistura de tecidos (seda pura com renda de algodão, por exemplo) e utilização de materiais (pedras, conchas, entre outras).

 

 

 

Stuart Angel Jones
Stuart Angel Jones

 

Além de ter sido importante para a moda brasileira, Zuzu Angel é um exemplo de força e coragem. Seu drama começou em 1971, quando seu filho Stuart Angel Jones, então com 26 anos, desapareceu, foi torturado, morto e teve o cadáver ocultado pelos órgãos de repressão, por ser um integrante do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), grupo de resistência armada a ditadura militar. Por meio de uma carta anônima, Zuzu foi informada que seu filho havia sido sequestrado, torturado e morto pelos órgãos de repressão. Stuart não forneceu as informações que os torturadores desejavam, então foi morto ao ser arrastado por um jipe, amarrado ao cano de escape do veículo, asfixiado pela fumaça do óleo diesel. Seu corpo não foi encontrado.

 

 

 

 

Corajosa, não se calou e denunciou o crime, inclusive a imprensa do exterior, entregue uma carta-denúncia ao Secretário de Estado de Governo dos Estados Unidos, Henry Kissinger. Outra estratégia utilizada por Zuzu foi o desfile-denúncia, realizado no Brasil e nos estados Unidos, no qual utilizou figuras de meninos presos, crucifixos, tanques, jipes e anjos amordaçados. Sofreu ameaças, foi perseguida e intimidada.

 

Carta Zuzu Angel
Carta Zuzu Angel

 

 

Temendo que as ameaças se concretizassem, escreveu cartas nas quais registrou que se aparecesse morta, ainda que parecesse acidente, seria na verdade assassinato. Em 14 de abril de 1976, morreu ao sofrer um “acidente” na saída de um Túnel no Rio de Janeiro.

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Nacionais, EBC e infoescola