São Paulo – Educação: Etec de São José do Rio Preto vence o StartUp in School

Grupo criou aplicativo depois de passar por capacitação em empreendedorismo – Foto: Divulgação

 

 

O projeto Doe-se, criado por alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Philadelpho Gouvêa Netto, de São José do Rio Preto, conquistou o primeiro lugar na competição StartUp in School, programa desenvolvido pelo Centro Paula Souza (CPS) em parceria com a consultoria Ideias de Futuro e com o Google.

 

 

Os alunos Davi Massaru Teixeira Muta, Gabrielle Stevanelli, Jhulia Braga, João Antonio de O. Braga, João Victor Garcia Soares e Luis Henrique Silva apresentaram o melhor trabalho na opinião da banca de jurados que participou da grande final, ontem, no Google Campus, na Capital. Eles criaram um aplicativo para celular com a proposta de estreitar as relações de doadores de sangue com hemocentros, facilitando e ampliando essa cadeia de solidariedade.

 

 

 

 

Os estudantes apresentaram um pitch – pequeno vídeo de apresentação – e responderam às perguntas do júri. “Ter ganho esse prêmio é uma conquista incrível, pois nossa escola é distante da Capital e isso mostra o quanto a nossa instituição nos incentiva e nos dá todo o auxílio possível”, comemorou Gabrielle.

 

 

 

 

Agora, esses alunos participarão de três meses de mentoria oferecida pela Ideias de Futuro para aprimorar a ferramenta e viabilizar seu lançamento no mercado. “Pretendamos terminar o app e desenvolver uma plataforma web para já tentar aplica-lo em um hemocentro.”

 

 

 

A Etec Dr. Nelson Alves Vianna, de Tietê, ficou com o segundo lugarna disputa. O projeto éSaúde propõe facilitar o acesso de idosos a medicamentos de farmácias e postos de saúde com busca atualizada e serviço de delivery acionado pelo celular.

 

 

 

Trajetória

 

 

 

O programa StartUp in School é realizado nas Etecs desde 2015. Foi criado em parceria com a consultoria de inovação social Ideias de Futuro e o Centro Paula Souza. “Por onde o projeto passa, oxigena a escola e cria novas demandas, o aluno passa a procurar novidades, estimulando também os professores”, afirma Gislayno Monteiro, responsável pelo programa no CPS. “As competências empreendedoras trazem novas habilidades para os alunos que são mais técnicos, como trabalho em equipe e criatividade.”

 

 

 

Neste ano, oito escolas participaram e cinco delas foram à final: Etec de Cubatão, Etec Lauro Gomes (São Bernardo do Campo), Etec de Mairiporã, Etec Dr. Nelson Alves Vianna (Tietê) e a vencedora, Etec Philadelpho Gouvêa Netto. A unidade de São José do Rio Preto também foi a ganhadora do prêmio Melhor Empreendedora, dado à escola que apresentou o maior engajamento no programa. Veja os pitches dos semifinalistas.

 

 

 

Todas as escolas receberam capacitações em empreendedorismo para alunos e professores e passaram por eliminatórias para definir os melhores projetos. Desde o início da parceria, 30 mil alunos foram impactados e mais de 300 professores receberam capacitação.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza