Saúde: Organização Mundial da Saúde revela que mais de dois terços do mundo não possuem estatísticas confiáveis de sistemas de saúde

Santas Casas Brasileiras sofrem com as contas no vermelho
Organização Mundial da Saúde revela que mais de dois terços do mundo não possuem estatísticas confiáveis de sistemas de saúde

 

 

Com mais de dois terços da população mundial vivendo em países que não produzem estatísticas confiáveis sobre a mortalidade por idade, sexo e causa da morte, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e seus parceiros lideram uma colaboração internacional para a medição e prestação de contas da saúde pública global ao longo dos próximos 15 anos.

 

 

“Dados de saúde precisos e oportunos são a base para a melhoria da saúde pública. Sem informação confiável para estabelecer prioridades e avaliar os resultados, os países e seus parceiros de desenvolvimento trabalham no escuro”, disse a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, à Cúpula de Medição e Responsabilização para Resultados na Saúde, reunida entre os dias 9 e 11 de junho, em Washington, D.C.

 

 

 

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS), em conjunto com o Banco Mundial e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), está liderando a colaboração internacional para fortalecer os sistemas de informação de saúde dos países. Atualmente, 100 países não contam com sistemas de registro civil ou estatísticas vitais para produzir dados confiáveis sobre as causas da mortalidade.

 

 

 

Na ocasião, a OMS e seus parceiros lançaram a lista de referência global de 100 indicadores principais de saúde para melhorar a medição e responsabilização dos sistemas de saúde públicos. O objetivo da lista é reduzir os relatórios duplicados ou excessivos que atualmente sobrecarregam os países e melhorar a harmonização de informação, seguindo como padrão global.

 

 

 

 
Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Nacionais, Agências Internacionais e da ONU