Saúde: Nísia Trindade Lima será primeira mulher a presidir a Fiocruz

Desde 2011, ela é vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz e diretora da Editora Fiocruz – Foto: Peter Ilicciev/Agência Fiocruz

 

 

O presidente da república, Michel Temer, escolheu a pesquisadora Nísia Trindade Lima para ser a nova presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na gestão de 2017-2020.

 

 

 

Ela será a primeira mulher a ocupar a função e foi nomeada com base em lista tríplice apresentada pelo Conselho Deliberativo da entidade ao Ministério da Saúde.

 

 

 

 

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, entende que a escolha foi feita de forma a buscar os objetivos da Fiocruz, instituição referência em pesquisas em saúde pública na América Latina.

 

 

 

 

A Fiocruz é produtora de medicamentos e vacinas para o Sistema Único de Saúde, desenvolve produtos biológicos e medicamentos e conta com 16 entidades vinculadas para atividades de pesquisa, ensino, assistência, informação e produção.

 

 

 

“Houve conciliação de interesses em torno dos objetivos propostos pela Fiocruz. Dentro desse quadro de diálogo e de articulação, o presidente entendeu que essa era a solução mais adequada e efetiva”, observa o ministro.

 

 

 

Currículo

 

 

 

Bacharel em Ciência Social pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em ciência política e doutora em sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, IUPERJ, ela faz parte do quadro de pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) desde 1987.

 

 

 

Nísia Trindade foi chefe do departamento de pesquisa da COC entre 1989 e 1991. Mais tarde, entre 1992 e 1994, ocupou a cadeira de vice-diretora da unidade. Por fim, entre 1998 e 2005, foi diretora do departamento.

 

 

 

 

Foi nesse período e sob gestão de Nísia que o COC criou o Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS), em 2000, com primeira turma de mestrado e doutorado em 2001.

 

 

 

Desde 2011, ela é vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz e diretora da Editora Fiocruz. Nísia Trindade também é professora adjunta de sociologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

 

 

 

 

 

Ela participa dos conselhos editoriais dos periódicos – Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência; História, Ciências, Saúde-Manguinhos; Caderno de História da Ciência-Instituto Butantan e Escritos da Fundação Casa de Rui Barbosa

 

 

 

 

Compromissos

 

 

 

 

Durante o processo democrático de escolha do novo presidente da Fiocruz, a pesquisadora listou 10 compromissos centrais para o avanço da instituição.

 

 

 

 

Nísia destacou a defesa do direito universal à saúde: compromisso com o SUS; promoção da ciência, da tecnologia e da inovação em benefício da sociedade; valorização dos trabalhadores e promoção das relações de trabalho inclusivas e com respeito à diversidade; e promoção da qualidade e da integração na atenção, na vigilância e na promoção à saúde.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do Ministério da Saúde