São Paulo: Prefeitura da Capital Paulista distribui 50 mil kits para teste rápido de dengue

País tem 3.530 casos suspeitos de microcefalia relacionados ao vírus Zika
Prefeitura da Capital Paulista distribui 50 mil kits para teste rápido de dengue

 

 

 

Preocupada com o aumento de casos de dengue na cidade de São Paulo, a Prefeitura reforçou o trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti. Uma das açõesé a realização do teste rápido em pacientes com suspeita da doença. A confirmação sai em apenas em 20 minutos.

 

 

Para essa iniciativa, a Prefeitura investiu R$1.066.500,00 na compra de 50 mil kits de teste rápido. O material foi distribuído em todas as unidades de saúde e será utilizado até a 10ª semana epidemiológica (1ª quinzena de março). Mais de 1,1 mil profissionais de saúde foram capacitados para fazer esse exame em todo o município.

 

 

 

“A Prefeitura tomou a decisão de colocar em todas as unidades neste ano exatamente porque, em 2014, observamos que a rápida confirmação acelera as ações de controle. É importante que a Secretaria saiba que o paciente está com dengue e, assim, acione os agentes de vigilância, que farão visitas à residência do paciente com diagnóstico positivo e aos vizinhos, como ação de bloqueio à transmissão na área”, explica o secretário Municipal de Saúde (SMS), Alexandre Padilha.

 

 

 

O teste rápido é uma estratégia importante de prevenção da dengue porque o poder público consegue atuar com mais precisão nas regiões onde há maior incidência da doença. Iniciar essa ação em janeiro,antes do período de grande incidência da doença, ajuda a bloquear a transmissão e reduzir os riscos de epidemia.

 

 

 

O mapeamento das áreas de maior incidência e a identificação de pontos estratégicos serão utilizados para a definição das estratégias de prevenção como a programação de visitas quinzenais em comércios de sucatas e potencial acúmulo de água parada, aplicação de larvicidas, operações de Cata-Bagulho, arrastões, distribuição de telas para cobertura de caixa d’água e nebulização.
 

 

Procedimentos dos testes

 

 

A adoção do teste rápido não altera a conduta de atendimento. O paciente com diagnóstico confirmado recebe orientações para o restabelecimento da saúde de acordo com protocolos do Ministério da Saúde, com respeito a eventuais comorbidades e sinais de gravidade.

 

 

 

Com mais de sete mil atendimentos realizados no último ano, as tendas que também realizam o teste rápido devem ser instaladas com dois meses de antecedência em 2016, já a partir da segunda quinzena de fevereiro.

 

 

“O teste rápido de 20 minutos é indicado para usuários com sintomas da doença que comparecem às unidades. Além do teste rápido, a Secretaria Municipal de Saúde vai agilizar o resultado dos hemogramas em até 24 horas. Este exame que indica o número de plaquetas, anemias e situações de risco e indica a gravidade do caso”, dizPadilha.

 

 
Redução do tempo de diagnóstico

 

 

A SMS repactuou com os laboratórios referenciados, nesta semana, o tempo de entrega de resultados dos exames de sangue de pacientes com suspeita de dengue. Para isso, os técnicos criaram o “hemograma dengue”, específico para diagnóstico da doença.

 

 

 

 

Anteriormente, quando uma Unidade Básica de Saúde (UBS) solicitava o exame para algum dos sete laboratórios contratados pela Prefeitura, o resultado com o diagnóstico demorava cerca de uma semana. Agora, o prazo máximo é de 24 horas.

 

 

 

 

A redução do tempo é importante porque acelera o diagnóstico e o início do tratamento. Nos Prontos-Socorros, Pronto-Atendimentos e Assistência Médica Ambulatorial (AMA) 24h os resultados sairão em até duas horas depois de colhido o material. Nas AMAs tradicionais o “hemograma dengue” ficará pronto em até 3 horas.

 

 

 

Conscientização da população

 

Proteja a sua casa do mosquito Aedes aegypti antes de sair de férias e evite o perigo da dengue, zika ou chikungunya para muitas pessoas de sua região.
Proteja a sua casa do mosquito Aedes aegypti antes de sair de férias e evite o perigo da dengue, zika ou chikungunya para muitas pessoas de sua região.

 

Ao mesmo tempo, a Prefeitura está tentando conscientizar os paulistanos sobre a prevenção contra a dengue. Com apoio de 100 soldados do Exército Brasileiro, um grupo formado por dois mil agentes de zoonoses e oito mil agentes de saúde vai realizar um trabalho porta a porta.

 

 

 

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 80% dos focos do Aedes Aegypti estão dentro das casas, por isso é fundamental ter a participação e colaboração da população no combate ao mosquito.

 

 

 

 

Inicialmente, as ações serão nos bairros de Freguesia do Ó e Pirituba. Para o coronel Giovani Marcelo Puppio, a parceria com as forças armadas é fundamental para alertar a população sobre a gravidade do risco de epidemia e a necessidade de prevenção.

 

 

 

“O apoio do Exército ao trabalho do agente de zoonoses dá credibilidade durante a abordagem e mostra ao morador a seriedade e a importância de abrir a porta para a inspeção. Em 2014 fizemos uma abordagem para o município de São Paulo e, neste ano, será destacado um efetivo maior, de 900 homens para todo o Estado, numa segunda fase da operação”, explica o coronel.

 

aedes

 

Da Redação com informações da Secretaria Executiva de Comunicação PM de São Paulo