Bragança Paulista – Saúde: Agentes de controle de endemias de Bragança recebem treinamento referente à febre maculosa que é transmitida por carrapatos.

Agentes de controle de endemias de Bragança recebem treinamento referente à febre maculosa que é transmitida por carrapatos.
Agentes de controle de endemias de Bragança recebem treinamento referente à febre maculosa que é transmitida por carrapatos.

 

A Prefeitura da Estância de Bragança Paulista, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, realizou na manhã da última sexta-feira (06/07), treinamento para os agentes de controle de endemias do município referente à febre maculosa.

 

 

 

 

O objetivo é treinar os agentes de controle de endemias para que possam realizar ações educativas junto aos munícipes com informações sobre a doença, transmissão e prevenção. Na oportunidade, os agentes puderam conhecer sua definição, forma de transmissão, período de incubação, sintomas, o período de maior ocorrência, a forma de tratamento e como evitar a doença.

 

 

 

 

O Chefe da Vigilância Epidemiológica, Rodrigo Bueno, informou que no município não houve casos da febre maculosa e que a Vigilância Epidemiológica está fazendo um levantamento criterioso para identificar os locais de risco. A primeira ação de orientação junto à população acontecerá na próxima terça-feira (10/07), no bairro do Campo Novo, das 8h às 16h.

 

 

 

 

A febre maculosa é uma doença aguda febril transmitida pela picada de carrapatos. Ela é causada por uma bactéria, a ‘Rickettisia rickettsii’, e pode inclusive causar a morte. No Brasil, o vetor é o ‘Amblyomma cajennense’ também conhecido como o carrapato-estrela ou carrapato-de-cavalo.

 

 

 

Saiba mais sobre a febre maculosa

 

 

 

 

A febre maculosa brasileira, também conhecida como febre do carrapato, febre maculosa das montanhas rochosas, febre petenquial e tifo transmitido pelo carrapato estrela, é uma infecção causada pela bactéria Rickettsia rickettsii após a picada de um carrapato.

 

 

 

 

Geralmente, a febre maculosa é mais comum durante os meses de junho a outubro, pois é quando os carrapatos estão mais ativos, sendo necessário estar em contato com o carrapato entre 6 a 10 horas.

 

 

 

 

A febre maculosa tem cura, mas seu tratamento deve ser iniciado com antibióticos após o surgimento dos primeiros sintomas para evitar complicações graves, como inflamação do cérebro, paralisia, insuficiência respiratória ou insuficiência renal, que podem colocar em perigo a vida do paciente.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do DIMP/BP