Tecnologia: Google do Doodle homenageia os 107º aniversário de Lota de Macedo Soares, uma mulher intensa e a frente de seu tempo.

Google do Doodle homenageia os 107º aniversário de Lota de Macedo Soares, uma mulher intensa e a frente de seu tempo. – Imagem: Google

 

Lota de Macedo Soares foi uma mulher a frente de seu tempo, além de ter sido uma arquiteta-paisagista e urbanista autodidata, ela viveu intensamente o seu trabalho e o seu romance com a escritora norte-americana Elizabeth Bishop. O projeto mais famoso de Lota foi o Parque Flamengo Park, no Rio de Janeiro, que está sendo retratado no Doodle de hoje.

 

 

 

 

Ela concebeu e construiu este magnífico parque da cidade que foi incorporado em maratonas e corridas de ciclismo, incluindo vários eventos olímpicos de 2016. O Parque do Flamengo continua a ser um destino privilegiado para turistas e moradores, e é um exemplo brilhante da visão e paixão de Soares.

 

 

 

 

 

Lotta de Macedo Soares

Maria Carlota, chamada por todos de Lota, nasceu em Paris, filha de José Eduardo de Macedo Soares, então Primeiro-Tenente da Marinha baseado na Europa, e de Adélia de Carvalho Costallat. O casal teve mais uma filha em Paris, Maria Elvira, conhecida por Marieta. José Eduardo deixou a Marinha em 1912 e voltou ao Brasil com a família. No Rio de Janeiro, fundou o jornal O Imparcial, precursor do Diário Carioca

 

 

 

No princípio da década de 1940, Lota residiu em Nova York, onde fez cursos no Museu de Arte Contemporânea

 

 

 

Lota Macedo Soares de família da elite carioca. Dirigia um Jaguar, usava calça jeans e camisas. Não fez universidade, mas teve aulas com ilustres como o pintor Cândido Portinari e tornou-se uma esteta com conhecimentos profundos em arquitetura e urbanismo. Sua obra de maior visibilidade foi o Aterro do Flamengo, que lhe rendeu desavenças, sobretudo com o paisagista Roberto Burle Marx.

 

 

 

 

 

Carlos Lacerda tornou-se governador da Guanabara no final de 1960. Em nome da amizade pessoal, Lacerda convidou Lota a realizar uma obra pública. Depois de semear idéias, ela levou o governador até a janela do apartamento onde ele morava, apontando resoluta: “Quero isto”. Na área onde era riscado o asfalto para desafogar o trânsito do Centro com a Zona Sul, Lota quis erguer o maior parque da cidade. “Começou então o tumultuado processo de construção do Aterro do Flamengo, encabeçado por uma mulher sem diploma universitário, e que impressão de seus contemporâneos assumiu o cargo apenas por sua amizade com o governador. A briga, pública e notória, seria com Burle Marx, responsável pelo paisagismo”, afirma Nádia Nogueira.

 

 

 

 

 
Para aterrar a área, o morro de Santo Antonio foi desmanchado a jatos d’água. Para criar a praia do Botafogo, retirou-se areia do fundo do mar, com a mesma draga que abriu o Canal do Panamá. “Tudo aquilo foi concebido por Lota. Ela também enfrentou Burle Marx para manter a iluminação com postes de 45 metros de altura, permitindo passeios noturnos no parque. Outra sugestão de Lota foi a grande quantidade de quadras de esportes, que hoje são alugadas em todos os dias do ano, inclusive de madrugada, quando ficam tomadas por times de porteiros de edifícios e taxistas”, acrescenta.

 

 

 

 

 

Com a derrota do candidato de Carlos Lacerda em 1965, Lota foi retirada do comando dos trabalhos, o que resultou em três meses de internação para sonoterapia. Ela enfrentou ainda uma campanha de difamação incentivada por Burle Marx, que a acusava de prepotência nas decisões.

 

 

 

 

 

Lota Macedo Soares foi companheira da escritora Elizabeth Bishop que é considerada a maior poetisa norte-americana do século 20. O melhor de sua produção se deu nos anos de reclusão com Lota Soares, na Casa da Samambaia em Petrópolis. Ali produziu Poems, que lhe valeu o prêmio Pulitzer (1956) e o reconhecimento internacional.

 

 

 

 
Todas essas questões políticas em que esteve envolvida, mais o afastamento de sua companheira Elizabeth Bishop, que a essa altura já estava em Nova York, levaram-na à depressão. Elizabeth Bishop era uma das poetisas mais famosas da época. Lotta e Elisabeth viveram juntas de 1951 a 1965. Em 1967, quando já separadas, Lota resolveu viajar a Nova York a fim de encontrar Bishop. No mesmo dia em que chegou, Bishop encontrou-a caída na cozinha, com um vidro de antidepressivos nas mãos. Lota entrou em coma, falecendo poucos dias depois.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da wikipedia, Jornal da Unicamp, Google