Saúde: Prefeitura de Atibaia alerta a população sobre o perigo do mosquito Aedes aegypti

Prefeitura de Atibaia alerta a população sobre o perigo do mosquito Aedes aegypti
Prefeitura de Atibaia alerta a população sobre o perigo do mosquito Aedes aegypti

 

Muita atenção a este texto, morador de Atibaia. A situação da Dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti em todo o país exige seriedade e comprometimento de toda a população. Não só a Dengue, mas também as doenças Zika e Chikungunya são muito perigosas pois podem levar à morte ou deixar sequelas graves (como microcefalia nos bebês de mulheres que adoecem por Zika durante a gestação, e artrites crônicas deformantes nas pessoas que se infectam com o vírus Chikungunya). Todos nós podemos ser vítimas, a qualquer momento, mas as pessoas com maior vulnerabilidade, como gestantes, crianças e idosos, são os que correm mais risco de quadros graves ou morte. Além disso, com o aquecimento global há temor de que outros vírus semelhantes entrem em nosso país e causem epidemias.

 

 

 

 

 

A Secretaria de Saúde está reforçando o combate ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti, em Atibaia e precisa da colaboração de todos os munícipes para evitar sua proliferação. Além de combater a Dengue, a Zika e a Chikungunya, é preciso evitar que novos vírus se instalem. Estas doenças fazem parte de um grupo chamado de arboviroses, que são doenças transmitidas por artropodes, em geral mosquitos, antes originários de matas e agora adaptados ao meio urbano. Nas cidades, as fêmeas dos mosquitos se adaptaram ao interior das casas e também aos quintais, utilizando recipientes artificiais para colocarem seus ovos.

 

 

 

 

 

Você, morador, precisa vistoriar toda semana a sua casa, principalmente seu quintal e varanda, para eliminar esses possíveis criadouros. Reserve pelo menos 10 minutos da semana para procurar pontos de acúmulo de água nas casas e eliminar esses focos. Para combater o mosquito é necessário eliminar os criadouros ou modificá-los, impedindo que sirvam para a proliferação do mosquito.

 

 

 

 

Os locais onde o mosquito costuma colocar seus ovos e que devem ser checados são: piscinas, caixas d’água, calhas, bandejas de ar-condicionado, pratinhos de plantas, os próprios vasos, garrafas PET e de vidro, baldes, saquinhos plásticos, pneus e lonas.

 

 

 

 

 

A Prefeitura também recomenda que os moradores coloquem areia nos pratinhos de planta; mantenham garrafas sempre viradas para baixo; guardem pneus em locais cobertos; joguem no lixo todo objeto que possa acumular água parada e verifiquem se a caixa d’água está bem fechada.

 

 

 

 

 

Durante a semana, os agentes de combate a vetores têm realizado visitas casa a casa em todos os bairros, dando prioridade àquelas situadas em regiões onde há mais incidência de casos da doença. Também são realizadas vistorias em pontos estratégicos (onde há grande quantidade de possíveis criadouros) e em imóveis especiais (locais onde há grande circulação de pessoas). Quando é detectado um caso suspeito de dengue, a Prefeitura realiza a atividade de bloqueio de controle de criadouros, efetuando uma busca ativa na região onde ocorreu o caso.

 

 

 

 

 

Além dessas atividades, equipes especiais têm efetuado ações de intensificação aos finais de semana, por meio de mutirões, que iniciaram no mês de março e ocorrerão até o final do ano. Ao todo, cerca de 50 profissionais da rede municipal de saúde percorrem os bairros com infestação e com casos suspeitos, realizando vistorias nas casas com o objetivo de identificar possíveis criadouros de mosquitos (recipientes e locais onde possa ocorrer acúmulo de água), além de fazer a coleta de larvas para encaminhamento à análise. Os agentes também promovem um trabalho de educação e conscientização da população com orientação aos moradores e distribuição de material impresso.

 

 

 

 

Atenção!

 

 

 

 

É muito importante que os moradores, após verificarem a identificação dos funcionários da Prefeitura, permitam a entrada dos agentes em seus imóveis para vistoria e orientação, ressaltando que serão observados apenas os possíveis criadouros.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da Prefeitura de Atibaia