Salão da Aeronáutica de Paris Le Bourget: Embraer vende seis aviões Super Tucano para o governo do Mali

O avião de combate Super Tucano opera em três continentes. Embraer/Divulgação
O avião de combate Super Tucano opera em três continentes.
Embraer/Divulgação

 

 

No primeiro dia do Salão da Aeronáutica de Paris Le Bourget, a Embraer anunciou a assinatura de um contrato com o Ministério da Defesa da República do Mali para fornecer seis caças A-29 Super Tucano. O modelo, considerado um dos melhores custo-benefício do segmento, já é utilizado por diversos países africanos.

 

Na cerimônia de assinatura da parceria, no Salão de Le Bourget, o ministro da Defesa do Mali, Tieman Coulibaly, disse estar satisfeito com a cooperação militar com o Brasil e creditou a escolha do modelo a sua “versatilidade e robustês”. O contrato inclui o apoio logístico e treinamento dos pilotos e mecânicos da Força Aérea maliana.

 

 

 

 

O país africano pretende usar os aviões em operações de vigilância de fronteiras e segurança interna. Desde 2013, o Mali combate rebeldes e terroristas no norte do país, com apoio de uma coalizão internacional liderada pela França.

 

 

 

190 Super Tucano pelo mundo

 

 

 

O A-29 Super Tucano é utilizado por 10 países em três continentes, incluindo a Força Aérea norte-americana, que conta com os aviões brasileiros em seu programa Light Air Support. Com 10 anos de operação, o Super Tucano conta com 230 mil horas de voo e 30 mil de combate. A Embraer recebeu cerca de 210 encomendas do modelo, tendo entregue 190 aeronaves até agora.

 

 

 

 

O Salão Internacional da Aeronáutica de Le Bourget, na periferia de Paris, abriu as portas nesta segunda-feira (15) com um recorde de participantes vindos de 47 países e muito otimismo. As principais construtoras estimam uma demanda ao redor de 35 mil aeronaves para os próximos 20 anos, impulsionada principalmente pelos países emergentes.

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes da RFI