São Paulo – Massacre na Catedral de Campinas: Atirador mata fiéis na Catedral Metropolitana de Campinas e depois comete suicídio.

Atirador mata fiéis na Catedral Metropolitana de Campinas e depois comete suicídio.

 

 

Um homem invadiu a Catedral Metropolitana de Campinas, no interior de São Paulo, durante uma missa e disparou contra fiéis, matando ao menos quatro pessoas.

 

Em nota, a SSP dz que policiais militares atiraram contra o autor dos disparos e que, em seguida, ele se matou. A nota informa também que imagens das câmeras de segurança da igreja foram apreendidas e serão analisadas.

 

 

 

 

O atirador que abriu fogo contra fiéis durante uma missa na Catedral Metropolitana de Campinas, no interior de São Paulo, não tinha registro de antecedentes criminais, informou o delegado José Henrique Ventura. O homem identificado como Euler Fernando Gandolfo, de 49 anos de idade, seria da cidade de Valinhos, conforme verificado em sua carteira de habilitação encontrada em uma mochila dentro da igreja. De acordo com Ventura, Gandolfo descarregou a pistola por duas vezes, e ainda tinha mais dois carregadores com 22 cápsulas cada.

 

 

 

O padre Amauri Thomazzi, que celebrava a missa na Catedral Metropolitana de Campinas no momento em que um atirador matou quatro pessoas e tirou a própria vida, compartilhou um vídeo em sua rede social afirmando que o homem teria disparado mais de 20 tiros contra os fiéis. Na breve gravação publicada no Facebook na tarde desta terça-feira(11), o religioso aparece bastante emocionado e tenta tranquilizar os fiéis. “Está tudo bem. Eu rezei a missa das 12h15 e, no final, uma pessoa entrou atirando, fez algumas vítimas. Ninguém pôde fazer nada, ajudar de forma nenhuma. Eu peço a oração de todos. Estamos todos bem”, disse.

 

 

Thomazzi relatou que o agressor se matou logo depois de atirar contra as pessoas e pediu oração para os feridos. “A vocês, amigos, eu peço que rezem pela pessoa e pelos feridos. Ele se matou depois da situação, foram mais de 20 tiros. Estamos muito abalados com o que aconteceu.” O religioso também ressaltou que a igreja está isolada pela polícia e “não há como entrar ou sair”. Além disso, disse que ainda não sabe como ficará a programação da Catedral nos próximos dias.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da ANSA e Agência Brasil