São Paulo – Educação: Estudantes da Etec de Itatiba conquistam terceiro lugar na Fórmula Drone

Estudantes dos Ensinos Médio e Técnico Integrado da Etec de Itatiba comemoram a terceira colocação na Fórmula Drone 2018 - Foto: Divulgação
Estudantes dos Ensinos Médio e Técnico Integrado da Etec de Itatiba comemoram a terceira colocação na Fórmula Drone 2018 – Foto: Divulgação

 

 

Cinco estudantes da Escola Técnica Estadual (Etec) Rosa Perrone Scavone, localizada em Itatiba, na Região de Campinas, conquistaram o terceiro lugar na Fórmula Drone 2018, competição realizada pela SAE Brasil no último fim de semana, em Itajubá, no Estado de Minas Gerais. No total, foram inscritas 39 equipes com 415 participantes de todo o Brasil para a disputa do prêmio. Os três primeiros colocados receberam troféus.

 

 

Igor Frare, aluno do Ensino Médio; Bruno Belgini, Gabriel Murari, Leonardo Paladino e William Minster, do curso técnico de Informática integrado Ensino Médio, desenvolveram um drone do tipo quadrotor rádio controlado – da concepção aos testes, chegando à operação. Os jovens foram orientados pelos professores Alex da Silva e Leandro Carvalho. “Eles conseguiram aplicar muito bem as habilidades e competências aprendidas no curso para desenvolver tanto a parte de hardware quanto de software”, avalia Silva.

 

 

 

 

Durante os três dias de competição, entre 7 e 9 de setembro, as equipes tiveram que cumprir diversas missões, como decolagem, medição de alvo, alijamento de objeto em alvo, passagem por frames e tele entrega. As ações foram avaliadas por um comitê que atribuiu pontos conforme o desempenho das aeronaves. Venceram o torneio os projetos mais otimizados, com soluções criativas, inovadoras e multidisciplinares.

 

 

 

 

Também participaram da competição estudantes das Etecs Prof. Armando José Farinazzo (Fernandópolis), de Ibitinga, Sylvio de Mattos Carvalho (Matão), Pedro Ferreira Alves (Mogi Mirim), Tenente Aviador Gustavo Klug (Pirassununga) e Etec Cel. Fernando Febeliano da Costa (Piracicaba).

 

 

 

 

“Foi mais que uma competição. O evento usou a tecnologia como elemento agregador, proporcionando integração e troca de conhecimentos entre estudantes de instituições com realidades distintas”, comemora Meire Yokota, coordenadora de projetos da Unidade de Ensino Médio e Técnico (Cetec) do Centro Paula Souza. “O fato de os alunos trabalharem meses preparando o projeto transformou a rotina das Etecs participantes, com grande envolvimento de professores e diretores, além da colaboração importante de parceiros”, conclui.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza