São Paulo – Educação: Alunos da Fatec São Carlos criam startup e promovem eventos beneficentes

Bianca e Paulo Koscak encontraram oportunidade de negócio organizando eventos para motociclistas e roqueiros – Foto: Divulgação

 

 

Inspirados no espírito de irmandade dos motoclubes, o casal Bianca e Paulo Koscak, aluna e ex-aluno do curso superior tecnológico de Gestão Empresarial da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) São Carlos, criaram uma agência para promover eventos voltados aos amantes do rock’n roll e da vida sobre duas rodas, mas com o diferencial de incentivar ações beneficentes.

 

 

 

Em operação desde o início do ano passado, a Maçã Livre já realizou mais de 40 eventos na região, como São Carlos Moto Fest, Elas que Cantam e Circuito Seu Carlos Rock – o último reúne bandas voluntárias com o objetivo de arrecadar mantimentos para instituições de caridade. De acordo com os organizadores, além de outros produtos, foram doados mais de quatro mil quilos de alimentos com o projeto.

 

 

 

Paulo Koscak explica que a ideia surgiu quando participou da Escola de Inovadores, curso de extensão gratuito da Assessoria de Inovação do Centro Paula Souza – Inova CPS, oferecido em Fatecs e Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) para ensinar pessoas com vocação empreendedora a transformar ideias criativas em startups.

 

 

 

“Entrei na Escola de Inovadores com um projeto para criar uma plataforma de e-commerce para colecionadores, mas não tinha condições de arcar com as despesas. Paralelamente, um amigo pediu ajuda para organizar uma reunião de grupos de motoqueiros. Com os conhecimentos do curso e a mentoria de professores e especialistas, preparei um plano de negócios para o evento, que se transformou no primeiro São Carlos Moto Fest, mobilizando mais de mil participantes”, lembra.

 

 

Rock solidário

 

 

Nas duas edições do São Carlos Moto Fest, o encontro contou com diversas atrações, como food trucks, exposição de artigos para motos, oficinas, lojas de roupas e shows de rock’n roll. “A região tem um cenário bastante ativo de bandas independentes dispostas a abrir mão do cachê por uma causa social. Então, lançamos também um projeto beneficente, o Circuito Seu Carlos Rock”, conta.

 

 

A entrada do evento custa um quilo de alimento. As despesas são financiadas por pequenos apoiadores e anunciantes, como barbearias, estúdios de tatuagem, lojas de instrumentos musicais, entre outros. “Os profissionais têm a oportunidade de divulgar produtos e serviços diretamente para seu público-alvo. É uma garantia de retorno. Por isso, já estamos na 18ª edição do circuito.”

 

 

Para o professor da Fatec São Carlos e coordenador da Escola de Inovadores na região, Alfredo Colenci Neto, os projetos de empreendedorismo social têm se mostrado cada vez mais promissores. “O próprio ecossistema de startups valoriza muito a troca de ideias, o networking e o coworking. Isso favorece a inovação e também gera uma cultura de apoio mútuo, deixando os novos empreendedores mais dispostos a abraçar uma causa”, diz.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza