Política: Representante dos Correios disse no Senado sobre a previdência complementar da ECT: “Postalis é um manual do que não fazer”

'Postalis é um manual do que não fazer', diz Afonso Oliveira, representante da ECT - Foto: Pedro França/Agência Senado
‘Postalis é um manual do que não fazer’, diz Afonso Oliveira, representante da ECT – Foto: Pedro França/Agência Senado

 

 

Na audiência da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) que discute o déficit no fundo de pensão dos Correios (Postalis), o representante da presidência da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), Afonso Oliveira, afirmou que o primeiro documento que leu ao assumir o atual cargo foi o relatório da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) sobre o Postalis.

 

— É um verdadeiro manual do que não se deve fazer com recursos, sejam eles públicos ou privados — disse.

 

 

 

O servidor garantiu ainda que em entidades que lidam com grande quantidade de dinheiro, como os fundos de pensão, a vigilância e a fiscalização devem ser constantes.

 

 

 

— Percebi isto quando fui diretor do BRB [Banco de Brasília]. É impressionante como todo dia aparece alguém sugerindo alguma movimentação heterodoxa ou investimentos podres. Chega a ser cansativo.

 

 

 

Oliveira afirmou que a atual direção está empenhada em ir atrás dos recursos desviados.

 

 

 

— Temos que perseguir quem provocou esta situação. O relatório da Previc mostra claramente os CPFs e os CNPJs — revelou.

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Nacionais e da Agência Senado