Política: Conselho de Ética abre processo contra o Deputado Federal Chico Alencar do PSOL

Chico Alencar disse que a representação não passa de tentativa de vingança política pelo processo contra o presidente da Câmara
Chico Alencar disse que a representação não passa de tentativa de vingança política pelo processo contra o presidente da Câmara

 

 

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar formalizou, nesta quarta-feira (11), a abertura de processo contra o líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ), e a entrada no colegiado do presidente do Solidariedade, deputado Paulo Pereira da Silva (SP). O pedido de cassação de Alencar foi apresentado pelo Solidariedade sob os argumentos de suposto uso de notas frias para comprovar gastos da sua cota parlamentar e de suposta irregularidade em doações à sua campanha eleitoral.

 

 

Chico Alencar antecipou a sua defesa no conselho para, segundo ele, mostrar a correção das doações e o arquivamento do procedimento do Ministério Público que investigou o uso das notas. Alencar disse ter detectado, na representação do Solidariedade, “25 mentiras, falsidades, afirmações enganosas e impropriedades”. Ele afirmou ter orgulho da colaboração de sete servidores do seu gabinete, que fizeram doações voluntárias, dentro dos limites permitidos pela Justiça Eleitoral.

 

 

 

 

De acordo com Alencar, a representação contra ele não passa de tentativa de vingança diante do processo de cassação que o Psol e a Rede Sustentabilidade movem contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, com base em supostas contas secretas na Suíça e em delações da Operação Lava Jato.

 

 

 

 

“Ele está fazendo a disputa política baixa, retaliação e tentativa de intimidação por causa do aliado e amigo dele — não sei se de negócios — Eduardo Cunha. Não vai conseguir”, disse o líder do Psol.

 

 

Da Redação com informações da Agência Câmara Notícias