Política – Cidadania: Senado Federal celebrou os 111 anos da imigração japonesa no Brasil

Representantes de entidades nipo-brasileiras participaram da sessão especial de iniciativa da senadora Leila Barros (ao centro da mesa) – Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

 

Os 111 anos da imigração japonesa no Brasil foram celebrados em sessão especial nesta segunda-feira (8) no Plenário do Senado. A homenagem lembra a chegada aos portos brasileiros, em junho de 1908, do Kasato Maru, navio que desembarcou no Porto de Santos (SP), trazendo 781 japoneses para trabalhar nas fazendas do interior paulista. Hoje, o país abriga a maior comunidade de descendentes nipônicos do mundo, com cerca de 2 milhões de pessoas.

 

 

A senadora Leila Barros (PDB-DF), que propôs a homenagem, destacou a contribuição dos japoneses para o desenvolvimento do Brasil e os laços de amizade entre os dois países.

 

 

— No decorrer dessa jornada, nipo-brasileiros têm contribuído para o desenvolvimento do Brasil em diversas áreas, fortalecendo as relações econômicas, humanitárias e científicas entre ambos — disse a senadora, que também enfatizou a forte presença de japoneses na capital federal.

 

 

Para o embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, os dois países compartilham valores fundamentais como democracia, liberdade, e respeito às leis. Destacou em sua fala a histórica cooperação econômica entre ambos e disse considerar que a aprovação pelo Congresso Nacional de reformas, como a da Previdência, pode estimular que mais empresas japonesas invistam no Brasil.

 

 

— Estou convicto de que, se as reformas no Brasil avançarem, muitas empresas japonesas voltarão a olhar para o Brasil novamente para se instalar e aumentar os investimentos — avaliou.

 

 

Também presentes à solenidade, a diretora do departamento de Japão e Pacífico do Ministério de Relações Exteriores, Cecília Ishitani; o presidente da Federação das Associações Nipo-Brasileiras dO Centro-Oeste (Feanbra); e o representante da agência internacional de cooperação do Japão, Hiroshi Sato, destacaram a cooperação entre Brasil e Japão em diversas áreas, com destaque para o Programa de Cooperação Nipo-Brasileiro para o Desenvolvimento Agrícola dos Cerrados (Prodecer) e pela implantação da Siderúrgica Usiminas. Brasil e Japão também têm parcerias técnicas nas áreas de conservação do meio ambiente, treinamento profissional, policiamento comunitário e projetos de melhoria de infraestrutura.

 

 

— Terceira maior economia do mundo, o Japão apresenta muitas oportunidades e oferece enorme potencial para as exportações brasileiras. Parceiro mais tradicional do Brasil na Ásia e com quem temos cooperação técnica há 60 anos, o governo brasileiro tem envidado esforços para o início das negociações comerciais Mercosul e Japão, um melhor acesso de produtos de nosso agronegócio, a diversificação de nossas exportações e atração de novos investimentos japoneses — apontou Cecília Ishitani.

 

 

Além da execução dos hinos nacionais do Japão e do Brasil, a sessão especial teve apresentações de judô e de uma dança tradicional japonesa.

 

 

Da Redação com informações provenientes da Agência Senado.