Nacional – Tecnologia: Carteira de Trabalho e o pedido de aposentadoria por tempo de contribuição são alguns dos 400 novos serviços que podem ser feitos pela internet em 2019

Governo atinge meta anual de serviços na internet

 

O governo federal acaba de alcançar a meta anual de transformação digital, dois meses antes do previsto, ao entregar 400 novos serviços. Carteira de trabalho, aposentadoria por tempo de contribuição, auxílio-maternidade rural. Esses são alguns dos serviços de maior impacto entre a população brasileira transformados em digitais neste ano. Todos eles agora podem ser acessados pelo Portal gov.br.

 

 

A estimativa da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, responsável pela transformação digital do governo federal, é de uma economia de R$ 1,64 bilhão por ano apenas com os serviços entregues desde janeiro. O maior beneficiado é o cidadão que, sem precisar mais se deslocar até órgãos públicos, e perder tempo e dinheiro com a contratação de despachantes, por exemplo, deixa de gastar R$ 1,29 bilhão por ano. O restante da economia é do governo, que poupa em infraestrutura logística, insumos e horas de trabalho dos funcionários, já que não tem de manter mais o mesmo volume de atendimentos presenciais ou por telefone.

 

 

“Um caso emblemático para nós é o dos serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em janeiro, 8% dos usuários da Previdência Social faziam uso de algum canal digital da instituição. Em oito meses, o percentual saltou para 70% de todos os pedidos”, ressalta o secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro. “As agências do INSS estão ficando vazias porque o cidadão agora incluído digitalmente está usando de fato esse serviço”.

 

 

Os serviços já transformados em digitais desde janeiro representam 17,7 milhões por ano de demandas dos cidadãos em 24 órgãos. Somente a Carteira de Trabalho digital, disponibilizada na última semana de setembro ao público, gera 5 milhões de solicitações por ano. O documento passou a ser previamente emitido para todos os brasileiros e estrangeiros que estejam registrados no Cadastro de Pessoa Física (CPF). O trabalhador só precisa habilitar o documento com a criação de uma conta de acesso no endereço www.gov.br/trabalho.

 

 

Assim, em vez de esperar 17 dias entre a solicitação e a solução do pedido da Carteira de Trabalho, o cidadão agora resolve tudo em um dia. Empresas que já usam o e-Social podem inclusive contratar funcionários sem a necessidade de exigir deles o documento físico. Isso simplifica e desburocratiza o acesso ao mercado, pois não é mais necessário apresentar a carteira em papel para ingressar em novo emprego.

 

 

100% digitais

Até o final de 2022, a meta é tornar digitais todos os 3,3 mil serviços do governo federal passíveis dessa transformação – com isso, a economia prevista é de R$ 7 bilhões no total para o governo e a sociedade. Neste momento, há mais de 1,6 mil totalmente digitais. “Vi vários benefícios com a Carteira de Trabalho digital. O histórico perdido na minha 1ª via, que perdi há anos, foi recuperado. Visualizo anotações, a exemplo de mudanças de cargo, salário, férias, independentemente de conseguir levar o documento na empresa e tê-la devolvida. O benefício é para todos: empresa e trabalhador”, afirma o gerente de desenvolvimento e pesquisa Flávio Lima, 48 anos, de São Paulo, que já utiliza o novo serviço.

 

 

O governo federal está aproveitando o grande número de smartphones em uso no País para ampliar o rol de serviços digitais. “Sete a cada 10 brasileiros acima de 10 anos de idade acessa a internet frequentemente. Ou seja, 126 milhões de pessoas. E a média diária de uso de internet pelo brasileiro é de nove horas diárias, um consumo 30% mais alto que o de um americano, por exemplo. O brasileiro é muito interessado e muito curioso”, explica Monteiro. A cada dois dias, três serviços prestados à população são transformados em digitais.​

 

 

Da Redação com informações do Ministério da Economia