Nacional – Economia: Ministro Paulo Guedes anuncia devolução de R$ 3 bilhões da Caixa para o Tesouro Nacional

Ministro Paulo Guedes anuncia devolução de R$ 3 bilhões da Caixa para o Tesouro Nacional - Foto: Gustavo Raniere/ASCOM/Ministério da Economia
Coletiva de Devolução da Caixa Economica Federal ao Tesouro Nacional. (Ministro Paulo Guedes e o presidente da Caixa,Pedro Guimarães) – Foto: Gustavo Raniere/ASCOM/Ministério da Economia

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nesta quarta-feira (12/6) a devolução de R$ 3 bilhões da Caixa Econômica Federal para os cofres públicos, contribuindo para a redução da dívida pública federal.

 

 

 

A medida faz parte da política geral do governo de gestão mais eficientes dos recursos públicos. “Nós estamos recuperando esses recursos e, com isso, vamos resgatando a dívida pública. Esse movimento vai desestatizando gradualmente o mercado de crédito”, disse o ministro durante coletiva à imprensa.

 

 

 

Outras devoluções, por parte da Caixa, estão previstas para acontecer no decorrer deste ano. “O nosso plano é devolver um total de R$ 20 bilhões até o final de 2019”, informou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Para 2020, a instituição programa a liquidação de mais R$ 20 bilhões.

 

 

 

Durante a coletiva, Pedro Guimarães disse que as medidas que estão sendo tomadas são para que a Caixa “resgate a sua função social”. Ele esclareceu que são ações que buscam focar os empréstimos nos cidadãos, principalmente os de baixa renda.

 

 

Devoluções de outros bancos

 

 

Também presente à coletiva, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Júnior, informou que a liquidação de valores junto ao erário deve alcançar outros bancos públicos. Eles devem cerca de R$ 86,5 bilhões em empréstimos concedidos pelo Tesouro no passado.

 

 

De acordo com o secretário, além dos R$ 40,2 bilhões da Caixa, o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) deve R$ 36,1 bilhões, o Banco do Brasil, R$ 8,1 bilhões, o Banco do Nordeste, R$ 1 bilhão e o Banco da Amazônia, R$ 1,06 bilhão.

 

 

Da Redação com informações provenientes e vinculadas pelo Ministério da Economia