Justiça: O Desembargador José Reynaldo Peixoto de Souza despediu-se da Magistratura Paulista

Desembargador José Reynaldo Peixoto de Souza
Desembargador José Reynaldo Peixoto de Souza

 

 

Marcadas por muitas palavras de agradecimento e aprendizado, integrantes do Conselho Superior da Magistratura (CSM), colegas aposentados, magistrados, familiares e servidores renderam homenagens ao desembargador José Reynaldo Peixoto de Souza em suas últimas sessões de julgamento na 12ª Câmara de Direito Privado – realizada no último dia 8 – e na 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial – que aconteceu hoje –, antes de sua aposentadoria compulsória.

 
Na última quarta-feira, o vice-presidente do TJSP, desembargador Eros Piceli – na ocasião representando o presidente José Renato Nalini – parabenizou o homenageado pela dedicação à magistratura e por tudo que fez pelo Estado de São Paulo. “Queria agradecer por todo o trabalho desenvolvido e dizer que há muito pela frente, pois a longevidade de nossa geração vem a nosso favor. Hora de aproveitar a família. Aproveite a vida”, disse.

 

 

 
O corregedor-geral da Justiça, desembargador Hamilton Elliot Akel, contou que conhece o amigo há quase 40 anos, época em que já era um advogado forte e atuante. “Sempre tivemos um relacionamento muito afetuoso. Um dos maiores projetos da Corregedoria – Justiça Cordial – tem nele um de seus inspiradores. Bem humorado e gentil, travou o bom combate e sai com a sensação de dever cumprido. Sua aposentadoria deixará uma grande lacuna, meu amigo. Seja muito feliz. Sentiremos sua falta”, afirmou.

 

 
Para o presidente da 12ª Câmara, desembargador José Jacob Valente, a convivência diária com o homenageado lhe trouxe muito aprendizado. “Tive a honra de trabalhar ao seu lado por muito tempo. Certamente continuará brilhando em tudo que fizer.”

 

 

O desembargador Roberto Nussinkis Mac Cracken enfatizou que José Reynaldo é um homem de solidariedade, amizade e carinho. “Amado por seus alunos, tem um conhecimento inesgotável e distribui saber jurídico. É emblemática sua passagem por aqui. Parabéns por sua trajetória, ela é marcante. Parabéns por tudo”, concluiu.

 

 

 

Os desembargadores Antonio Mário de Castro Figliolia, Gilberto Pinto dos Santos, Sandra Maria Galhardo Esteves, Ricardo José Negrão Nogueira, Caio Marcelo Mendes de Oliveira, a procuradora de Justiça Maria Cristina Viegas, advogados e amigos também fizeram uso da palavra.

 

 
Em seu discurso, o homenageado agradeceu, emocionado, as palavras de carinho. “Desde o primeiro momento, fui acolhido na magistratura sem qualquer restrição. O que ficou corroborado pelas eleições e nomeações das comissões das quais tive a honra de integrar. Aqui fiz novos e duradouros amigos. Também pude constatar – e agora testemunhar – que a magistratura paulista é da melhor qualidade, sob todos os aspectos. Aqui recebi lições de direito e exemplos de dedicação, aplicação, seriedade, serenidade, firmeza e ética no exercício da difícil tarefa de julgar. Busquei nos limites de minha capacidade, e ciente de minhas deficiências, cumprir a missão. Para isso contei com a inestimada e irrestrita colaboração das pessoas do meu gabinete, especiais, preparadas e dedicadas. Do mesmo modo, quero consignar minha gratidão pela colaboração dos servidores do cartório e serviços administrativos do tribunal, que sempre me auxiliaram com presteza e colaboração. Quero agradecer a generosidade dos meus colegas. Foi uma honra muito grande ter ocupado o cargo de desembargador do TJSP, fato que marca o ponto máximo de minha carreira profissional”, concluiu.

 

 

Currículo

 

 
José Reynaldo Peixoto de Souza nasceu em abril de 1945, na capital paulista. Tornou-se bacharel em Direito pela Faculdade Paulista de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – turma de 1967. Ingressou na magistratura como juiz do 1º Tribunal de Alçada Civil de São Paulo, nomeado em agosto de 2001 pelo critério do Quinto Constitucional – classe advogado. Tornou-se juiz titular da Classe Jurista do Tribunal Regional Eleitoral, com mandato até junho de 2003. Em janeiro de 2005 foi promovido a desembargador do TJSP e em março de 2008, eleito para o Órgão Especial.

 

 
Da Redação com informações provenientes da Comunicação Social TJSP – AM