Greve: CPTM pede que greve dos ferroviários seja considerada abusiva

CPTM
CPTM

 

 

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos(CPTM) protocolou junto ao Tribunal Regional do Trabalho um pedido para que seja declarada a abusividade da greve dos ferroviários na capital paulista. A paralisação prejudica hoje (3) aproximadamente 500 mil passageiros, que utilizam as quatro linhas afetadas em São Paulo

 

 

De acordo com o TRT, o pedido de abusividade será julgado pela Seção de Dissídios Coletivos, e ainda não tem data definida. Hoje, as linhas 7-Rubi e 11-Coral ficaram totalmente paradas. As linhas 10-Turquesa e 12-Safira tiveram funcionamento parcial.

 

 

 

 

A CPTM informou que considera lamentável o descumprimento da liminar do TRT que determina que 90% dos maquinistas trabalhem no horário de pico, e que 70% dos empregados das demais atividades também trabalhem nesse horário.

 

 

 

 

Os ferroviários dos dois sindicatos que pararam as atividades hoje vão se reunir em assembleia nesta tarde. O Sindicato dos Ferroviários de São Paulo faz a assembleia na sua sede, às 14h30, e o sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil reúne os trabalhadores às 14h, em frente a estação Brás da CPTM.

 

 

 

 

Hoje pela manhã, houve confusão na estação Francisco Morato. A Polícia Militar (PM) usou bombas de gás para tentar conter pessoas que depredaram o local. O grupo ficou revoltado com a greve que paralisou a operação nessa estação, que é atendida pela Linha 7- Rubi. A CPTM informou que, aos passageiros da região metropolitana de São Paulo, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) reforçou a sua frota no horário de pico.

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes da Agência Brasil