Economia – Reajuste Tarifário Energia Elétrica: Consumidores da Energisa Sul Sudeste terão as contas reajustadas a partir desta sexta-feira – 12/07/2019

Região Bragantina teve uma Economia de 0,27% no consumo de energia no Horário de Verão 2015/2016, revela Energisa.
Consumidores da Energisa Sul Sudeste terão as contas reajustadas a partir desta sexta-feira – 12/07/2019

 

A ANEEL aprovou na terça-feira (9/7), em reunião de diretoria, reajuste tarifário da Energisa Sul Sudeste. As novas tarifas entram em vigor para os consumidores da concessionária a partir da próxima sexta-feira (12/7). A empresa atende 790 mil unidades consumidoras localizadas em 85 municípios dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço.

 

 

Confira abaixo os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores:

 

Empresa

Consumidores residenciais – B1

Energisa Sul Sudeste

-0,30% (redução)

 

 

 

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão

em média

Alta tensão

em média (indústrias)

Efeito Médio para o consumidor

Energisa Sul Sudeste

0,16%

4,10%

1,30%

 

Os clientes de baixa tensão, que correspondem a cerca de 85% dos consumidores da Energisa Sul-Sudeste, terão um efeito médio de 0,16%. Dentro desde grupo estão os consumidores residenciais, com efeito de -0,59% e os consumidores comerciais e rurais, com efeito de 1,31%.

 

 

Os itens que mais contribuíram para o reajuste foram os custos de aquisição e transmissão de energia e componentes financeiros referentes ao risco hidrológico. Os gastos com encargos setoriais colaboraram para reduzir o índice de reajuste tarifário em -3,92%, destaque para o pagamento do empréstimo da Conta ACR e a retirada da CDE Decreto da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O impacto da bandeira tarifária reduziu o reajuste em -4,42%.

 

 

O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

 

 

Mais informações sobre reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico www.aneel.gov.br, no link entendendo a tarifa, e no aplicativo ANEEL Consumidor, disponível para dispositivos móveis Android ou IOS.

 

 

Da Redação com informações provenientes da ANEEL