Economia – FGV: Prévia da Confiança da Indústria sinaliza maior alta desde março de 2015

O Índice de Confiança da Indústria é o pior dos últimos nove anos
Prévia da Confiança da Indústria sinaliza maior alta desde março de 2015

 

 

 

A prévia de janeiro de 2016 do Índice de Confiança da Indústria (ICI), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE), sinaliza alta de 3,7 pontos em relação ao número final do mês anterior, passando de 75,4 para 79,1 pontos. Com o resultado, o ICI registraria o maior nível desde março de 2015, embora permaneça em patamar muito baixo em termos históricos. Esta seria a primeira vez desde maio passado que o índice superaria significativamente o mínimo registrado na crise de 2008-2009.

 

 

 

“O avanço mais expressivo do ICI na prévia de janeiro decorre principalmente de avanços no processo de normalização de estoques do setor. Associado à percepção de estabilização do nível de demanda, este movimento tem levado à diminuição do pessimismo. O conjunto de informações sinaliza uma atenuação das taxas de queda da produção da indústria nos próximos meses”, afirma Aloisio Campelo, superintendente adjunto para Ciclos Econômicos do IBRE.

 

 

 

 

A alta do índice em janeiro, em sua versão preliminar, foi determinada tanto pela melhora da situação atual quanto pelas expectativas em relação aos meses seguintes: o Índice da Situação Atual (ISA) aumentaria 4,7 pontos, atingindo 79,7 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) aumentaria 2,5 pontos, atingindo 78,8 pontos.

 

 

 

 

O resultado preliminar do Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) sinaliza queda de 0,8 ponto percentual entre dezembro e janeiro, passando 75,0% para 74,2%, atingindo o menor nível da série histórica.

 

 

 

Para a prévia de janeiro de 2016, foram consultadas 777 empresas entre os dias 4 e 18 de janeiro.

 

 

 

 

O resultado final da pesquisa será divulgado na próxima sexta-feira, dia 29 de janeiro.

 

 

 

 

Da Redação com informações da FGV