CPI da Petrobras: Paulo Roberto Costa lista 28 políticos que teriam recebido dinheiro ilícito da estatal.

Paulo Roberto Costa - Foto: Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados
Paulo Roberto Costa – Foto: Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados

 

 

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa apontou, em depoimento à CPI da Petrobras, nomes de 28 políticos que, segundo ele, receberam dinheiro ilícito da estatal.

 

“Quem teve relacionamento impróprio com o senhor?”, perguntou o deputado Ivan Valente (Psol-SP), deixando claro que “relacionamento impróprio” significava recebimento de dinheiro ilícito para campanhas.

 

 

O deputado leu os nomes dos 52 políticos investigados em inquéritos abertos pelo Ministério Público Federal, com autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.

 

 

Desses, Paulo Roberto Costa admitiu ter tido relações ilícitas, que implicavam em pagamento de dinheiro, com 28 políticos:

 

  • – os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR), Edson Lobão (PMDB-MA), Valdir Raupp (PMDB-RO), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Humberto Costa (PT-PE), Lindberg Faria (PT-RJ), Fernando Bezerra (PSB-PE);
  • – os deputados Benedito de Lira (PP-AL), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Simão Sessim (PP-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG), José Otavio Germano (PP-RS), Mário Negromonte (PP-BA), Aníbal Gomes (PMDB-CE), Eduardo da Fonte (PP-PE), Arthur Lira (PP-AL), Nelson Meurer (PP-PR);
  • – os ex-deputados Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henri (PP-MT), Cândido Vaccarezza (PT-SP) e João Pizolatti (PP-SC);
  • – os ex-senadores Sérgio Guerra (PSDB-PE), já falecido, e Roseana Sarney (PFL-MA);
  • – o ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo (PT);
  • – o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB); e
  • – o atual governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB).

 

Paulo Roberto Costa disse não conhecer outros políticos investigados pelo Ministério Público, como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

 

 

“Não convocamos ainda nenhum político. Vou exigir que a gente convoque as pessoas mencionadas por ele”, disse Ivan Valente.

 

 

Antes disso, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) anunciou que vai protocolar um requerimento pedindo a convocação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, segundo ele, seria o responsável pelos investimentos da Petrobras desde 2003 na construção de refinarias, plataformas, navios-sonda e gasodutos.

 
Da Redação com informações da Agência Câmara Notícias