Brasil – Saúde: Saiba como preparar a Ceia de Natal de forma saudável

Saiba como preparar a Ceia de Natal de forma saudável

A Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento alerta para o perigo da salmonela nas ceias de fim de ano. Um dos pratos que exige maior atenção na hora do preparo e conservação é a tradicional maionese.

 

 

Pensando nisso, a bactéria é o alvo do trabalho do Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans) e nas análises do Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio Avícola (Captaa).

 

 

 

“Nós temos a nobre tarefa de oferecer sempre saudabilidade nos alimentos que a população paulista consome. Esta é uma das mais importantes recomendações que o governador Geraldo Alckmin deu à Secretaria de Agricultura e Abastecimento”, apontou o secretário Arnaldo Jardim.

 

 

 

A nutricionista Etelma Mendes Rosa esclarece que os sintomas da infecção por salmonela normalmente surgem após a ingestão de alimentos contaminados com fezes, como ovos ou carne mal cozida.

 

 

 

Veja os fatores que levam ao surgimento da salmonela:

 

 

 

– Alimentos mal cozidos ou deixados destampados por várias horas;

– Carnes, aves, frutos do mar, gema de ovo;

– Produtos lácteos;

– Hortaliças plantadas em locais adubados com fezes de aves.

 

 

 

Sintomas

 

Já os sintomas são semelhantes aos de uma infecção do intestino. Geralmente, podem surgir até três dias após o consumo do alimento contaminado e permanecem por cerca de cinco a sete dias, até a completa recuperação do paciente. Eles podem variar de intensidade, dependendo da quantidade de alimento contaminado ingerido ou da quantidade de bactéria ingerida.

 

 

 

Porém, sempre que existe suspeita de infecção por salmonela é recomendado consultar um gastroenterologista para fazer o diagnóstico do problema e iniciar o tratamento com o antibiótico adequado.

 

 

 

Fique atento aos seguintes sintomas:

 

 

– Náuseas e vômitos por mais de 24 horas;

– Diarreia intensa por mais de três dias;

– Febre acima de 38º C e arrepios;

– Sangue nas fezes;

– Cólica abdominal;

– Dor de cabeça.

 

 

 

 

Veja as dicas para prevenir a contaminação:

 

 

– Cozer adequadamente os alimentos, evitando carnes (de aves, porco, boi) malpassadas;

– Lavar muito bem as mãos antes de preparar qualquer tipo de alimento, nas trocas de atividades e após utilizar o banheiro;

– Evitar servir ovos com a gema mole; devem ser cozidos por sete minutos;

– Somente beber leite fervido ou pasteurizado/esterilizado;

– Todas as frutas, verduras e legumes precisam ser bem higienizados antes do consumo. Para isso, lave-os em água corrente tratada e deixe-os de molho em água (1 litro) com hipoclorito de sódio (1 colher de sopa) por 30 minutos. Enxágue cuidadosamente em água potável para evitar uma nova contaminação;

– Evitar a contaminação cruzada, ou seja, usar a mesma tábua de corte para o preparo de mais de um tipo de alimento; evitar o cruzamento de alimentos crus com alimentos cozidos, manter a higiene do local de preparo de alimentos, bem como de utensílios e equipamentos;

– Evitar comprar ou preparar ovos que apresentem a casca trincada, rachada ou suja e procurar mantê-los sob refrigeração.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento.