Brasil – Política: Ministro da Educação pede que deputados priorizem recursos para ônibus escolares e computadores

Ministro da Educação pede que deputados priorizem recursos para ônibus escolares e computadores – Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

 

O ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, esteve nesta quarta-feira (10) com a Frente Parlamentar Mista da Educação e a Comissão de Educação da Câmara para debater emendas parlamentares para o setor.

 

 

As emendas são recursos do Orçamento que deputados e senadores podem destinar a despesas específicas, como obras em escolas e hospitais e construção de pontes.

 

 

 

O ministro entregou aos parlamentares uma cartilha que traz orientações sobre Orçamento, e pediu que os parlamentares priorizassem algumas ações:

 

 

 

“Ações que sejam executadas rápidas e que tenham um bom alcance, como ônibus escolar, como computadores, como climatização, ar condicionado, coisas que são do interesse de toda bancada de cada Estado e que fazem diferença na escola.”

 

 

 

Rossieli Soares da Silva também pediu apoio dos parlamentares para encontrar uma solução para obras paralisadas por causa de indícios de irregularidades detectados pelo Tribunal de Contas da União:

 

 

 

“Nós temos muitas obras paralisadas de creche, na educação infantil, também no ensino fundamental por uma série de problemas. E isso tem levado a um grande problema: municípios muito pequenos, pobres, que o prefeito atual não tem culpa de gestões anteriores e não vai conseguir sozinho concluir essa obra. Esta comissão pode e deve nos ajudar nesta discussão junto com o Tribunal de Contas da União, a CGU, com todo mundo envolvido, porque afinal de contas a gente está punindo a população duas vezes: porque o recurso não chegou onde deveria, e porque aquela obra se continuar assim nunca será concluída.”

 

 

 

O deputado Alex Canziani, do PTB do Paraná e presidente da Frente da Educação, concordou com a necessidade de discutir uma solução para o problema:

 

 

 

“Não é possível que obras que estão se perdendo. Já foi investido dinheiro público, não atende a sociedade. Recursos públicos que estão lá e que não foram devidamente atendidos.”

 

 

 

Em seguida à reunião com o ministro, a Comissão de Educação cancelou reunião deliberativa prevista para escolher as emendas da comissão ao Orçamento. O motivo foi a baixa presença de deputados. Nova reunião foi convocada para a quarta-feira da semana que vem.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da ‘Agência Câmara Notícias’