Brasil – Política: Desembargador Rogério Favreto que determinou a liberdade imediata de Lula foi ligado a gestões Petistas.

Desembargador Rogério Favreto que determinou a liberdade imediata de Lula foi ligado a gestões Petistas.

 

Rogério Favreto nasceu dia 2 de março de 1966, na cidade gaúcha de Tapejara. Graduou-se em Direito na Universidade de Passo Fundo, em 1989, tornando-se mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica na área de Instituições de Direito do Estado. Favreto entrou no PT em dezembro de 1991, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O magistrado se desfiliou da legenda em 2010 antes de virar juiz, segundo informações da Folha de São Paulo. Sua mãe e uma de suas irmãs foram ligadas à sigla.

 

 

 

Há quem garanta que o Favreto é apadrinhado do Tarso Genro (PT-RS), e com ele exerceu o cargo de Procurador de carreira do município de Porto Alegre, Favreto exerceu entre abril de 2007 e junho de 2010 o cargo de secretário nacional da Reforma do Judiciário, no Ministério da Justiça.

 

 

 

A sua indicação para Desembargador do TRF-4 foi cercada por uma série de contestações segundo matéria da época publicada pelo site Conjur, em sua defesa o ex-secretário de do PT afirmava que: “Honra-me muito ter como referência o (então) governador eleito Tarso Genro, com quem tive oportunidade de trabalhar no município de Porto Alegre e no Ministério da Justiça, mas a escolha não será política e sim curricular e profissional”, afirma o ex-secretário. “São os conselheiros estaduais e federais da OAB que formarão a lista sêxtupla, seguidos pelos desembargadores do TRF-4, que elegerão a lista tríplice. Isto não pode ser debitado a eventuais relações políticas.”

 

 

 

 

Rogério Favreto foi escolhido por Dilma Roussef, ele ocupou vaga decorrente da aposentadoria do desembargador Valdemar Capeletti. Também participavam da lista tríplice enviada à Presidência da República os advogados Liliane Maria Busato Batista, do Paraná e, Oswaldo José Pedreira Horn.

 

 

 

Da Redação com base em informações publicadas Conjur, Folha de São Paulo, JusBrasil