Brasil – Justiça: TRF3 recebeu o Prêmio Conciliar é Legal em quatro categorias

Presidente do STF e do CNJ, ministra Carmen Lúcia, entrega Prêmio Conciliar é Legal à desembargadora federal Marisa Santos – Foto: Divulgação

 

 

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) premiou na última terça-feira (6/2) os vencedores da oitava edição do Prêmio Conciliar é Legal. Na cerimônia realizada em Brasília, a ministra Carmen Lúcia entregou quatro vezes o prêmio ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), homenageado principalmente por alcançar o maior índice de composição consensual da XII Semana Nacional de Conciliação, ocorrida em 2017.

 

 

 

“Eu só tenho a agradecer a todos que participaram dessa premiação, foram mais de 80 inscritos, porque eles estão ajudando a atender melhor o cidadão, principalmente aquele que procura o judiciário em busca de uma solução pacífica”, afirmou a presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (SFT), ministra Cármen Lúcia.

 

Desembargadora federal Daldice Santana, conselheira do CNJ, ao lado dos premiados na categoria juiz individual: Jorge Alberto Araújo de Araújo, da 1ª Vara de Imperatriz/MA, à esquerda; e Paulo Marcos Rodrigues de Almeida, do Juizado Especial Federal de Guarulhos/SP, à direita. – Foto: Divulgação

 

Além do prêmio pelo índice de conciliação, a Justiça Federal da 3ª Região (estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul) conquistou a premiação em outros três projetos que levam em conta critérios como eficiência, criatividade, satisfação do usuário, alcance social e desburocratização.

 

 

 

 

Na categoria Tribunal Regional Federal, o TRF3 venceu com a prática “Fluxo Célere de Conciliações”. Já na categoria Juiz Individual da Justiça Federal, os vencedores foram os juízes federais Jorge Alberto Araújo de Araújo, da 1ª Vara de Imperatriz/MA (TRF da 1ª Região), e Paulo Marcos Rodrigues de Almeida, do Juizado Especial Federal de Guarulhos/SP (TRF da 3ª Região), pela prática “CAMEDS – Câmara de Mediação em Direito de Saúde”.

 

 

 

O Tribunal também foi o primeiro colocado na categoria Instrutores em Mediação e Conciliação. A desembargadora federal Marisa Ferreira dos Santos, coordenadora do Gabinete da Conciliação do TRF3, recebeu o prêmio pela prática “Curso de Capacitação de Conciliadores e Mediadores da 3ª Região”.

 

Representantes da Justiça Federal 3ª Região em premiação do CNJ.

 

Lançado em 2010, o prêmio tem como objetivo identificar, disseminar e estimular ações de modernização na Justiça, sobretudo aquelas que contribuem para a pacificação de conflitos. Pode participar do Prêmio os tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino, professores, estudantes, advogados, usuários, empresas ou qualquer ente privado, mediante a apresentação de práticas autocompositivas executadas individualmente ou em grupo.

 

 

 

Na avaliação da coordenadora do Comitê Gestor do Movimento pela Conciliação no CNJ, conselheira Daldice Santana, o crescente número de inscrições demonstra que o Judiciário e a sociedade vêm evoluindo, ano a ano, no caminho da busca pela pacificação social.

 

 

 

“O Prêmio é uma forma de apoiarmos e divulgarmos projetos criativos e eficientes, que contribuam para a resolução dos conflitos sociais”, disse. Para ela, basta uma rápida leitura das práticas premiadas para confirmar “a excelência” do Prêmio Conciliar.

 

Clique aqui para ver todos os premiados

 

 

Da Redação com informações provenientes da Assessoria de Comunicação do TRF3 e CNJ