Brasil- Eleições 2018: MPD lança campanha Vote Inteligente! Eleições 2018 para mostrar o valor do voto consciente aos cidadãos

 

MPD lança campanha Vote Inteligente! Eleições 2018 para mostrar o valor do voto consciente aos cidadãos   - Imagem MPD
MPD lança campanha Vote Inteligente! Eleições 2018 para mostrar o valor do voto consciente aos cidadãos – Imagem MPD

 

O Movimento do Ministério Público Democrático (MPD) lançou na quarta-feira (29), no auditório da USP/Direito, em São Paulo a campanha “Vote Inteligente! Eleições 2018”. A iniciativa recebeu o apoio do Ministério Público Federal (MPF) e tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade sobre o valor e a importância do voto pautado na escolha de candidatos confiáveis e honestos. Mais detalhes da campanha estão disponíveis no site.

 

 

A proposta da campanha é mobilizar a população para o processo eleitoral de 2018, gerando ampla discussão sobre o voto consciente e inteligente. A busca por informações para a escolha dos candidatos, a importância de se ampliar a representação feminina no cenário político e outros temas visam contribuir com o mais importante exercício da cidadania. “A ideia central é enfatizar o valor do voto inteligente, fornecendo dicas para a seleção e incentivando o eleitor a buscar informações confiáveis sobre a trajetória dos candidatos, além de alertá-los sobre os danos provocados pelas fake news”, diz o presidente do MPD, Ricardo Prado Pires de Campos.

 

 

 

Nos anúncios para a TV, o ator Cássio Scapin dá dicas de como o eleitorado pode selecionar os candidatos aos Poderes Executivo e Legislativo. Nos vídeos produzidos pela Associação dos Canais Comunitários do Estado de São Paulo (Acesp), o ator alerta para que o eleitor não se iluda com promessas, e não venda, nem troque o voto por nenhum favor ou valor. Já a cantora Kell Smith fala da representação feminina no Congresso e incentiva a participação de mais mulheres na política.

 

 

 

Segundo o procurador de Justiça do MP/SP, a iniciativa é fundamental para o atual cenário da política brasileira, marcado pelos inúmeros casos de corrupção desvendados pela operação Lava-Jato. “Temos de criar uma nova forma de pensar as eleições. O cidadão precisa entender a importância do seu voto para combater a corrupção e melhorar o país.” Além de engajar o cidadão comum, a campanha busca mobilizar os filiados aos partidos políticos para que entendam a sua responsabilidade nas mudanças necessárias para restabelecer a moralidade e a ética na política e na gestão pública. Outro objetivo é estimular e fornecer informações não apenas aos associados da entidade, mas a todos os integrantes do Ministério Público, que atuam como fiscalizadores do processo eleitoral.

 

 

 

A ideia é orientar o eleitor a mudar de atitudes para votar com inteligência. Além de pesquisar as propostas dos candidatos, a campanha recomenda a pesquisa do seu histórico em sites confiáveis para certificar a idoneidade do seu passado e, se já foi eleito, como atuou nos mandatos anteriores. Entre os cuidados recomendados está o de se informar sobre as necessidades do seu bairro, cidade ou estado, e checar se elas foram contempladas na proposta do possível candidato. Acompanhar as propagandas e os debates, também, é fundamental para o processo de avaliação.

 

 

 

 

A iniciativa chama a atenção para um tema cada vez mais relevante: as chamadas fake news. A população precisa tomar cuidado antes de compartilhar as notícias, para não contribuir com a circulação de informações falsas. Checar a atuação do partido dos candidatos, também, faz parte dessa conscientização. Outro ponto relevante: descartar candidatos envolvidos em corrupção ou ficha-suja. A campanha indica sites importantes para a pesquisa na web, como os dos Tribunais Eleitorais, da Transparência Brasil, Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, entre outros.

 

 

 

 

Sobre o MPD – O MPD é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada por membros do Ministério Público Brasileiro, em 1991. Conta com mais de 300 associados em 22 estados e tem como objetivos promover a democracia e maior justiça para a população.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do portal do MPD / Secretaria de Comunicação Social Procuradoria-Geral da República