Atibaia: Câmara Municipal aprovou projeto que proíbe rodeios e vaquejadas em Atibaia

Câmara Municipal aprovou projeto que proíbe rodeios e vaquejadas em Atibaia
Câmara Municipal aprovou projeto que proíbe rodeios e vaquejadas em Atibaia

 

 

O vereador Prof. Rodrigo, diante da votação, agradeceu o apoio de seus pares

 

 

 

 
A Câmara aprovou, na sessão da última segunda-feira, 7 de novembro, projeto do vereador Prof. Rodrigo Parras que proíbe vaquejadas, farras de boi e rodeios no município. Tomando como base a decisão do Supremo Tribunal Federal do dia 6 de outubro, que por seis votos a cinco, considerou a prática das vaquejadas como inconstitucional, o vereador lembrou-se da luta desenvolvida para que o rodeio fosse proibido em Atibaia.

 

 

 
Defensor da causa animal e presidente da Comissão de Bem-Estar Animal da Câmara, Rodrigo agradeceu o apoio dos pares para a aprovação. Ele lembrou que o projeto foi incentivado por militantes de Atibaia, reunidos em ongs. Segundo o vereador, a aprovação da Câmara veio em bom momento, já que a Promotoria do Meio Ambiente, em Bragança, apresentou ação civil pública, pedindo que tanto o rodeio como a exposição agropecuária, por questões sanitárias, não aconteçam em perímetro urbano e que rodeios realizados na cidade vizinha não possam fazer uso de instrumentos e atividades que impliquem maus-tratos aos animais.

 

 

 

 

A Promotoria de Bragança citou esses instrumentos: Calf Roping (laçar bezerros com apenas 40 dias de vida); Team Roping (um peão laça a cabeça de um garrote enquanto outro lança as pernas e em seguida o esticam); Bulldoggin (com o cavalo a galope, o peão atira-se sobre a cabeça de um garrote em movimento pelo chifre, torcendo-o violentamente); vaquejadas (dois peões, em cavalos a galope, cercam garrote em fuga. Um dos peões traciona e torce a cauda do animal até que se tombe); e montarias (montar o peão no animal e nele se manter enquanto salta, com uso de esporas, sedém, sinos, peiteiras e choques elétricos).

 

 

 

 

 
De acordo com a sentença, “a proteção aos animais e a vedação a maus tratos ou condutas que empreguem meios cruéis decorrem de ordem constitucional”. Em resumo, o evento vai poder continuar acontecendo, inclusive os shows no Posto de Monta, mas o rodeio e a exposição deverão ser em perímetro rural, sem as atividades de maus-tratos.

 

 

 

 

 

“A proibição em Bragança poderia trazer esse evento para Atibaia. Com a aprovação do nosso projeto, conseguimos barrar essa ameaça”, concluiu o vereador Prof. Rodrigo.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes do Departamento de Comunicação Câmara Municipal da Estância de Atibaia