Tecnologia: Maior acelerador de partículas do mundo volta a operar

Maior acelerador de partículas do mundo volta a operar – Fonte da imagem: Reprodução/Neatorama

 

O Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), maior acelerador de partículas do mundo, da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) de Genebra, voltou a trabalhar após uma pausa técnica.

 

 

 

 

 

Segundo a CERN, o acelerador começará uma nova série de experimentos baseados em colisões entre prótons, cujo objetivo é alcançar mais de um bilhão de colisões por segundo nas próximas semanas. Por sua vez, a Itália continua a participar do projeto junto ao Instituto Nacional de Física Nuclear (INFN).

 

 

 

 

Temporada promissora

 

 

 

 

 

Com a retomada de seu funcionamento, espera-se que o LHC supere o número de 2016, de 6,5 milhões de bilhões de colisões. O objetivo para 2017 é enriquecer cada vez mais os feixes de partículas para obter o mesmo número de colisões em tempo mais rápidos.

 

 

 

 

 

Se alcançados, os números permitirão consolidar conhecimentos até hoje adquiridos, relativos à teoria de referimento da física contemporânea (Modelo Padrão). Ao mesmo tempo, será possível abrir as portas para fenômenos inéditos da “nova física”. É o objetivo dos quatro principais experimentos feitos pelo acelerador LHC, chamados de CMS, Atlas, Alice e Lhcb.

 

 

 

 

 

Para o vice-presidente do Infn e físico do experimento Atlas, Antonio Zoccoli, “o início da nova estação de levantamento de dados para os experimentos de LHC abre um período muito interessante e cheio de expectativas”. Após a descoberta do Bóson de Higgs (partícula elementar bosônica), “a comunidade científica está concentrada no estudo das propriedades dessa partícula e na pesquisa de efeitos que possam abrir novos campos de pesquisa”.

 

 

 
Da Redação com informações provenientes da ANSA