Saúde: Organização Mundial da Saúde divulgou lista de bactérias que ameaçam mais gravemente à saúde humana.

Grupo mais crítico inclui bactérias multirresistentes a medicamentos que são uma ameaça a hospitais, enfermarias e a pacientes que usam aparelho de ventilação mecânica ou catéter. Foto: OMS

 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, divulgou esta segunda-feira a primeira lista dos patogênicos mais resistentes a antibióticos. São 12 famílias de bactérias que impõe as ameaças mais graves à saúde humana.

 

 
Essas bactérias conseguem encontrar novas maneiras de resistir aos tratamentos médicos e por isso, novos antibióticos são necessários com urgência. A OMS dividiu o grupo em três categorias: prioridade crítica, alta ou média.

 

 

 
Intoxicação

 

 

 
O grupo mais crítico inclui as bactérias multirresistentes a medicamentos que são uma ameaça a hospitais, enfermarias e a pacientes que usam aparelho de ventilação mecânica ou cateter.

 

 

 

 
A ONU News entrevistou a coordenadora do Programa de Vigilância de Resistência Antimicrobiana da OMS. De Genebra, Carmem Pessoa da Silva explicou que até a salmonela, que causa intoxicação alimentar, está incluída na lista de categorias de prioridades alta ou média.

 

 

 
Tratamento difícil

 

 

 

 
“No caso das infecções causadas por salmonela multirresistente, há uma tendência em que a infecção seja mais grave e que o tratamento com antibiótico específico seja necessário. E aí, veja a situação: eu tenho uma combinação de uma infecção que é mais grave, em que eu preciso entrar com um antibiótico e justamente neste caso, eu tenho um alto índice de resistência, o que torna o tratamento mais difícil e mais oneroso.”

 

 

 

 

Outra bactéria muito resistente a drogas causa a gonorreia. Ao publicar a lista, a OMS espera que governos e indústria farmacêutica invistam, o mais rápido possível, na criação de novos medicamentos.

 

 

 

 
A especialista da OMS Carmem Pessoa da Silva deu mais detalhes do apelo.

 

 

 
Novas opções

 

 

 
“Esta é a lista prioritária de patógenos que causam infecções para os quais as opções terapêuticas são cada vez mais limitadas. Então neste momento, o que a OMS solicita é que concentrem os esforços para o desenvolvimento de novas opções terapêuticas e também novas opções diagnósticas que possam propiciar o diagnóstico mais fácil, o tratamento mais rápido e mais eficaz.”

 

 

 

 

O apelo da OMS acontece na mesma semana em que especialistas em saúde dos países do G20 se reúnem em Berlim, na Alemanha, para debater vários assuntos, inclusive a resistência antimicrobiana.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Rádio ONU de Nova York