Jogos Olímpicos – Rio 2016: França apura corrupção em escolha do Rio para sediar jogos

Olimpíadas Rio 2016
Olimpíadas Rio 2016

 

 

Um grupo de procuradores do Ministério Público Financeiro da França se reuniu nesta segunda-feira (8) com procuradores brasileiros em Brasília para investigar um suposto esquema de corrupção de compra de votos de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016.

 

 

 

 
A suspeita é de que delegados da organização tenham recebido propina em troca de voto para garantir que o Rio fosse escolhido na disputa entre Madri, Tóquio e Chicago para sediar a competição.

 

 

 

 

 

De acordo com a Justiça de Paris, já foram encontrados indícios de corrupção três dias antes da sessão do COI para definir a cidade sede. Na ocasião, em outubro de 2009, foram registradas duas transferências no valor total de ao menos US$2 milhões para membros do COI realizadas pela Matlock Capital Group, empresa com sede em Miami, nos Estados Unidos, e de propriedade do empresário brasileiro Arthur Cesar de Menezes Soares Filho.

 

 

 

 

Na época, o grupo de Soares Filho tinha contratos de prestação de serviços no valor de R$3 milhões firmados com o governo do Rio de Janeiro. A Justiça francesa também apura os vinculos entre o empresário e o governador Sérgio Cabral e uma possível corrupção.

 

 

 

 

 

A investigação tem o interesse de verificar se houve vínculos entre empreiteiras, entre elas a Odebrecht, que se beneficiaram dos projetos de infraestrutra, além de uma suposta compra de votos.

 

 

 

 

 

 

Em nota, a construtora não quis entrar em detalhes. “A Odebrecht não se manifesta sobre eventuais investigações e reafirma que vem cooperando com autoridades brasileiras e estrangeiras. A empresa está comprometida a combater e não tolerar a corrupção em quaisquer de suas formas”.

 

 

 

 

 

Nesta terça-feira (9), os procuradores responsáveis pelo caso  se reuniram novamente com os franceses para trocarem mais informações sobre o caso e as investigações.

 

 

 
Da Redação com base em informações provenientes da ANSA