Internacional – Vaticano: Papa Francisco canonizará Paulo VI e Óscar Romero neste domingo

Papa canonizará Paulo VI e Óscar Romero neste domingo

 

 

O papa Francisco celebra neste domingo (14), na Praça São Pedro, a missa de canonização de sete novos santos da Igreja Católica, incluindo o pontífice italiano Paulo VI e o monsenhor salvadorenho Óscar Arnulfo Romero.

 

 

A celebração começará às 10h15 (horário local), e os outros cinco santos são: os italianos Francesco Spinelli, Nunzio Sulprizio e Vincenzo Romano, a alemã Maria Catarina Kasper e a espanhola Nazaria de Santa Teresa de Jesus.

 

 

 

 

O papa Paulo VI, nascido Giovanni Battista Montini, governou a Igreja Católica entre 1963 e 1978. O milagre que abriu as portas para sua canonização teria ocorrido em dezembro de 2014, no nascimento de Amanda, menina italiana que veio ao mundo após apenas 26 semanas de gravidez, algo em torno de seis meses e meio.

 

 

 

 

Segundo a Igreja, a placenta da mãe se rompeu com 13 semanas de gestação, e os médicos a aconselharam a interromper a gravidez, que poderia provocar danos à sua própria saúde. No entanto, ela, originária da província de Verona, ouviu a sugestão de uma amiga e rezou no Santuário das Graças de Brescia, lugar de devoção a Montini. A menina nasceu saudável.

 

 

 

 

Já Óscar Romero será santificado como mártir e por um milagre também ligado a uma gravidez. Ex-arcebispo de San Salvador, ele pregava a não-violência e condenava violações dos direitos humanos por parte do regime militar que governara El Salvador até 1979. Em 1980, foi assassinado por esquadrões da morte durante uma missa na capital.

 

 

 

“Hoje o monsenhor Romero é nosso benfeitor, o santo de nossa família. Estamos explicando a nossos filhos que o monsenhor Romero era um homem de Deus que defendia os mais pobres”, disse Cecilia Flores, mulher que, a um passo da morte, teria sido curada de complicações de um parto pela intercessão do salvadorenho.

 

 

 

A cerimônia de canonização será acompanhada ao vivo nas igrejas de El Salvador e em um palco montado do lado de fora da catedral metropolitana da capital. Simbolizando Óscar Romero, será levado à Praça São Pedro o fragmento de um osso.

 

 

 

 

Já para Paulo VI, será exibida a roupa manchada de sangue que ele usava em 27 de novembro de 1970, quando sofreu um atentado a faca no Aeroporto de Manila, nas Filipinas.

 

 

Paulo VI (Giovanni Battista Montini), Sumo Pontificie – Giovanni Battista Montini nasceu em Concesio, Bréscia, na região italiana da Lombardia, e foi ordenado aos 22 anos. Doutor em filosofia, direito civil e direito canônico, serviu a diplomacia da Santa Sé e a pastoral universitária italiana. A partir de 1937, foi colaborador direto do Papa Pio XII. Durante II Guerra Mundial, no Vaticano, se ocupou da ajuda aos refugiados e aos judeus. Após o conflito, colaborou na fundação da Associação Católica de Trabalhadores Italianos (ACLI), e em 1954, foi nomeado arcebispo de Milão. Criado cardeal pelo Papa João XXIII em 1958, participou nos trabalhos preparatórios do Concílio Vaticano II. Em 21 de junho de 1963 foi eleito Papa. Paulo VI escreveu sete encíclicas, entre as quais a ‘Humanae vitae’ (1968) sobre o controle da natalidade, e a ‘Populorum progressio’ (1967) que abrange o desenvolvimento dos povos. Foi o primeiro Papa a fazer viagens internacionais, tendo visitado Terra Santa, EUA, Índia, Portugal, Turquia, Filipinas e Austrália, dentre outros.

 

 

 

 

Oscar Arnulfo Romero Galdámez, Arcebispo de São Salvador, Mártir – nasceu em 15 de agosto de 1917, em Ciudad Barrios, em El Salvador. Sua família era numerosa e pobre. Com apenas 13 anos entrou no seminário. Foi para Roma completar o curso de teologia com 20 anos e se ordenou sacerdote, em 1943. Em 1977, padre Oscar Romero foi nomeado Arcebispo de El Salvador, chegando à capital com fama de conservador. No dia 24 de março de 1980, Dom Romero foi fuzilado, em meio aos doentes de câncer e enfermeiros, enquanto celebrava uma missa na capela do Hospital da Divina Providência, na capital de El Salvador.
Sua ação pastoral visava ao entendimento mútuo entre os salvadorenhos. Criticava duramente tanto a inércia do governo, as interferências estrangeiras, como as injustiças praticadas pelos grupos “revolucionários”. O Arcebispo Dom Oscar Arnulfo Romero foi fiel a Igreja, e pagou com a vida o preço de ser discípulo de Cristo. O seu nome foi incluído na relação dos 1015 salvadorenhos que foram assassinados, em 1980.

 

 

 

 

Outros 4 beatos serão canonizados juntos a Papa Paulo VI e a Dom Oscar Romero:

 

 

Francesco Spinelli, Sacerdote diocesano, Fundador do Instituto das Irmãs Adoradoras do Santíssimo Sacramento;

Vincenzo Romano, Sacerdote diocesano;

Maria Caterina Kasper, Virgem, Fundadora do Instituto das Pobres Servas de Jesus Cristo;

Maria Ignazia de Santa Teresa de Jesus, virgem, Fundadora da Congregação das Irmãs missionarias Cruzadas da Igreja.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da ANSA e Vatican News