Internacional: Suspeito do massacre em igreja de Charleston é preso nos Estados Unidos

Suspeito de ter matado fiéis e pastor em igreja na Carolina do Sul é filmado por câmera de segurança. REUTERS/Charleston Police Department/Handout
Suspeito de ter matado fiéis e pastor em igreja na Carolina do Sul é filmado por câmera de segurança.
REUTERS/Charleston Police Department/Handout

 

 

 

O homem branco suspeito de disparar e matar nove pessoas ontem à noite em uma igreja da comunidade negra da cidade de Charleston, na Carolina do Sul, foi capturado nesta quinta-feira (18), confirmou o chefe de polícia Gregory Mullen. O atirador foi identificado como Dylann Roof, de 21 anos. O jovem foi preso na Carolina do Norte. Depois do ataque, ele havia fugido a bordo de um sedã preto. A justiça federal abriu uma investigação por “crime de ódio”.

 

 

 

Dylann Roof passou várias horas foragido, apesar da grande operação de busca organizada pela polícia local, com apoio de agentes federais. Ele vive na região de Columbia, a capital da Carolina do Sul, a duas horas de Charleston.

 

 

 

Sobrevivente diz que atirador ficou uma hora na igreja

 

 

 

O ataque contra a igreja da comunidade negra de Charleston é um dos mais violentos dos últimos 25 anos nos Estados Unidos. O tiroteio ocorreu por volta das 21h de quarta-feira (22h em Brasília) contra a Emanuel African Methodist Episcopal Church de Charleston, um dos locais de culto mais antigos da cidade.

 

 

 

Uma mulher que sobreviveu ao ataque relatou que o atirador entrou na igreja e se misturou aos outros frequentadores. Ele permaneceu sentado num banco durante cerca de uma hora. Subitamente, levantou-se e atirou. Antes de ir embora, o suspeito disse à mulher que a deixava viva para ela poder contar o que aconteceu.

 

 

 

 

Entre as vítimas estão o reverendo Clementa Pinckney, senador da Carolina do Sul e pastor da igreja desde 2010. A irmã do senador também foi morta no ataque, segundo a imprensa local. O chefe da polícia relatou que ao chegar à igreja, a polícia encontrou oito mortos dentro de templo. “Duas pessoas feridas foram levadas (ao hospital) e uma faleceu”, disse Mullen.

 

 

 

Reações

 

 

 

A pré-candidata democrata à Casa Branca Hillary Clinton, que participou na quarta-feira de um ato eleitoral na cidade, escreveu no Twitter: “notícias terríveis de Charleston − meus pensamentos e minhas orações estão com vocês”.

 

 

 

Jeb Bush, pré-candidato republicano à sucessão em 2016, que deve participar de um comício em Charlotte, na Carolina do Norte, disse no Twitter que “nossos pensamentos e orações estão com os indivíduos e famílias afetadas pelos trágicos fatos de Charleston”.

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Nacionais e Agências Internacionais, RFI e da  AFP