Internacional – Saúde: OMS revela que muitas pessoas não conseguem receber tratamento adequado de saúde pela falta de acesso a serviços diagnósticos.

OMS revela que muitas não conseguem receber tratamento adequado de saúde pela falta de acesso a serviços diagnósticos. - Foto: Banco Mundial
OMS revela que muitas pessoas não conseguem receber tratamento adequado de saúde pela falta de acesso a serviços diagnósticos. – Foto: Banco Mundial

 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, revela que muitas pessoas não conseguem receber tratamento adequado de saúde pela falta de acesso a serviços diagnósticos. Em alguns casos, o paciente pode até receber o tratamento errado.

 

 

 

A agência calcula que 46% dos adultos com diabetes tipo 2 sequer foram diagnosticados, o que traz sérios riscos para a saúde. No caso do HIV ou da tuberculose, a falta de diagnóstico rápido e correto aumenta as chances de contágio.

 

 

 

 

Primeiro passo

 

 

 

Para tentar resolver essas questões, a OMS está lançando a primeira Lista de Diagnósticos Essenciais, um catálogo com os testes necessários para diagnosticar condições de saúde mais comuns.

 

 

 

O diretor-geral da agência, Tedros Ghebreyesus, declarou que “receber um diagnóstico correto é o primeiro passo para obter tratamento eficaz”. Para ele, nenhuma pessoa “deveria sofrer ou morrer pela falta de exames de saúde”.

 

 

 

A lista foca em exames de sangue e de urina. A maioria é essencial para diagnosticar condições básicas e outros 55 são para detectar doenças prioritárias pela agência, como HIV, tuberculose, malária, hepatites B e C, HPV e sífilis.

 

 

Referência

 

 

 

A OMS explica que alguns exames essenciais podem diagnosticar com rapidez uma criança com malária ou uma pessoa com diabetes. São testes simples que não dependem de energia elétrica nem de pessoal treinado, questões importantes em regiões mais pobres.

 

 

 

Outro objetivo da agência com a publicação do catálogo é fornecer uma maneira única de todos os países testarem e tratarem os pacientes e também aplicar da melhor forma possível as verbas destinadas ao setor de da saúde.

 

 

 

Esse catálogo segue o mesmo modelo da Lista de Medicamentos Essenciais, que vem sendo utilizada com sucesso há 40 anos, sendo uma referência na medicina.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Rádio ONU