Internacional – Política: Moscou acusa Israel de abater avião russo na Síria

Moscou acusa Israel de abater avião russo na Síria
Moscou acusa Israel de abater avião russo na Síria

 

 

A Rússia acusou nesta terça-feira (18) Israel de ser o responsável pelo abatimento de um jato militar com 14 russos a bordo que sobrevoava ontem uma região do Mar Mediterrâneo.

 

 

De acordo com Moscou, o jato foi atingido peças Forças Aéreas da Síria, enquanto se defendiam de ataques de Israel. O governo de Vladimir Putin disse ainda que caças israelenses F16 usaram o avião russo como “escudo” no meio dos disparos.

 

 

 

 

O jato russo Il-20 perdeu contato com os radares por volta das 23h de ontem, quando estava perto do Mar Mediterrâneo e fazia um voo de retorno à base russa de Khmeimim, na Síria.

 

 

 

 

O contato com a aeronave foi pedido enquanto quatro caças F-16 israelenses atacavam objetivos sírios na província de Latakia.

 

 

 

 

“Os radares russos também registraram, no mesmo tempo, o lançamento de mísseis da fragata francesa Auvergne, que estava na região”, disse Moscou.

 

 

 

 

“Em 17 de setembro, por volta das 23h em Moscou, perderam-se os contatos com a tripulação de um avião russo Il-20, sobre o Mediterrâneo, enquanto o veículo estava de retorno ao aeródromo de Khmeimim e se encontrava a 35 km da costa síria”, disse o Ministério da Defesa russo.

 

 

 

A emissora americana “CNN” anunciou que o avião tinha sido abatido “por engano” pelas forças aéreas da Síria. Mas a Rússia, que é aliada do ditador sírio Bashar al-Assad, acusou Israel pelo erro, alegando que os caças israelenses usaram seu avião como “escudo” e que, por isso, fora abatido.

 

 

 

“As ações militares de Israel levaram à morte de 15 soldados russos”, acusou Moscou, definindo a situação como “hostil”.

 

 

 

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, conversou por telefone com o ministro israelense Avigdor Lieberman. Mas, até o momento, Israel não fez nenhuma declaração oficial sobre o incidente.

 

 

 

Em represália, a Rússia decidiu convocar o embaixador israelense em Moscou para consulta. “Os pilotos israelenses usaram o avião russo como cobertura para ser pego na mira da defesa aérea síria.

 

 

 

Como consequência, o Il-20, que é muito maior para o radar que um F-16, foi abatido por um míssil de defesa S-200”, disse o Ministério de Moscou, alegando que Israel nem avisou dos ataques e que o alerta sobre o bombardeio chegou um minuto antes, o que impossibilitou o avião de deixar o local.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da ANSA