Internacional – OEA: Relator da OEA diz que Bolsonaro fere liberdade de imprensa.

O presidente Jair Bolsonaro

 

O relator especial para a liberdade de expressão da Organização dos Estados Americanos (OEA), o advogado uruguaio Edison Lanza, fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro por suas declarações sobre o jornalista Glenn Greenwald, cujo site, o Intercept Brasil, tem divulgado conversas do ministro da Justiça, Sergio Moro, com procuradores da Operação Lava Jato.

 

 

No último final de semana, o mandatário brasileiro negou que uma portaria editada pelo Ministério da Justiça para agilizar deportações tenha o jornalista americano como alvo e afirmou que ele “pode pegar uma cana aqui no Brasil”.

 

“O presidente do Brasil lamentavelmente parece ter se esquecido da Constituição e de tratados internacionais sobre liberdade de expressão dos quais o Brasil é signatário”, afirmou Lanza ao site da BBC News Brasil. Segundo o relator especial, Bolsonaro “adota uma lógica que lamentavelmente antes seguiam os presidentes como (Hugo) Chávez (Venezuela) e (Rafael) Correa”.

 

“Bolsonaro foi eleito com um discurso de liberdade de expressão e imprensa, mas o abandona rapidamente quando algo o incomoda.

 

Não vejo diferença em relação ao comportamento de Chávez e Correa na América Latina”, acrescentou o relator da OEA à publicação.

 

Na entrevista, Lanza ainda ressalta que ao fazer comentários irônicos sobre a orientação sexual de Greenwald, Bolsonaro faz “um ataque discriminatório” e incita “um comportamento de perseguição” ao jornalista e à imprensa.

 

“O trabalho do presidente é prevenir riscos, e não aumentá-los.

 

Este é um discurso realmente perigoso, que desagrada e gera novas expressões de ódio. O direito à liberdade de expressão não permite que se desobedeça a direitos fundamentais para se extremar a polarização, especialmente às custas de um grupo que historicamente é discriminado”, avaliou.

 

Lanza ainda destacou que, com essas atitudes, o presidente brasileiro desobedece pelo menos dois tratados internacionais dos quais o país é signatário.

 

 

Da Redação com informações da Ansa.