Internacional: O site WikiLeaks revela que não existe atestado de óbito de Bin Laden

Bin Laden
Bin Laden

 

 

O líder grupo terrorista al-Qaeda foi morto no dia 2 de maio de 2011, em Abbottabad, no Paquistão, durante uma operação especial do grupo de SEALs da Marinha americana. Em setembro do mesmo ano, o cônsul da embaixada americana em Riad enviou uma carta ao filho de Bin Laden, Abdullah bin Laden, reconhecendo um pedido pelo atestado de óbito do pai.

 

 

Segundo o site WikiLeaks revelou nesta sexta-feira, a embaixada americana na Arábia Saudita declarou que não havia registro da existência de um atestado de óbito de Bin Laden.

 

 

 

 

“Fui informado pelo Escritório do Conselheiro Legal do Departamento de Estado dos EUA que nenhum atestado de óbito foi emitido para Osama bin Laden”, escreveu Glen Keiser na carta revelada pelo WikiLeaks.

 

 

 

 

O site WikiLeaks publicou mais de 61 mil documentos sauditas e afirma que vai divulgar mais de meio milhão de documentos semelhantes, inclusive com relatórios confidenciais do Ministério saudita do Interior e da Agência Geral de Inteligência.

 

 

 

 

No mês de maio deste ano, o renomado jornalista Seymour Hersh contestou o relato oficial da morte de Bin Laden e alegou que as circunstâncias eram diferentes das divulgadas oficialmente. Segundo Hersh, Bin Laden estaria sendo mantido como prisioneiro em Abbottabad pela Agência de Inteligência do Paquistão e teria sido entregue aos americanos por um oficial paquistanês em troca de uma recompensa de US$ 25 milhões.

 

 

 

 
Fonte: Da Redação com informações provenientes do site sputniknews.com