Internacional – Economia: Unicef revela que mais de meio bilhão de crianças vivem em países onde não se consegue medir progressos

Unicef revela que mais de meio bilhão de crianças vivem em países onde não se consegue medir progressos – Foto: UNICEF/UNI126514/Khan

 

Dados mais recentes sobre avanços na área de desenvolvimento para crianças revelam que 500 milhões estão em nações onde os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS, “estão rapidamente ficando fora de alcance”; alerta do Fundo das Nações Unidas para a Infância foi feito esta quarta-feira.

 

 

 

Mais da metade das crianças do mundo vivem em países onde o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, não consegue medir progressos ligados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

 

 

 

Os 17 objetivos, firmados na histórica Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, traçam um plano de ação para se criar, até 2030, um futuro de paz, dignidade e prosperidade para todos, em um planeta saudável.

 

 

 

Alerta

 

 

 

Uma avaliação preliminar do Unicef sobre progressos para alcançar os ODS confirma a falta de dados em 64 países, algo que a agência considera “alarmante”. Além disso, os progressos são insuficientes em 37 nações onde os dados podem ser checados.

 

 

 

O relatório “Progressos para Crianças na Era ODS” é a primeira avaliação temática sobre medidas que estão sendo tomadas para o alcance dos objetivos globais que levam em conta crianças e jovens.

 

 

 

Preocupações

 

 

 

O documento chama a atenção para o fato de que 520 milhões de crianças estão vivendo em países onde faltam dados sobre pelo menos dois-terços de indicadores dos ODS relacionados às crianças. Outro problema é que em algumas nações, os dados para medir progressos são insuficientes.

 

 

 

 

Por isso, o Unicef considera que meio bilhão de crianças são “incontáveis”. O relatório alerta que se os progressos não forem acelerados, 650 milhões de crianças estão em países onde suas condições de vida podem piorar até 2030.

 

 

 

Educação e saúde

 

 

 

Neste levantamento, o Unicef levou em conta cinco campos de progressos: saúde, educação, proteção da violência e da exploração, ambiente seguro e oportunidades igualitárias.

 

 

 

As projeções mostram que de agora até 2030, 10 milhões de crianças poderão morrer antes dos cinco anos de idade de causas que podem ser prevenidas. Já a desnutrição poderá fazer com que 31 milhões de crianças fiquem raquíticas.

 

 

 

Outros dados do relatório: 22 milhões de menores poderão ficar fora do ensino pré-primário; 150 milhões de meninas poderão casar antes de completarem 18 anos e 670 milhões de pessoas, a maioria crianças, poderão ficar sem acesso à água potável.

 

 

 

O Unicef pede mais esforços para que esse problema global da falta de dados seja resolvido e chama a atenção para a importância de se investir em instituições nacionais de levantamento de dados.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Rádio ONU