Internacional – Economia: Preços Mundiais dos Alimentos teve aumento de 8,2% em comparação a 2016.

Diretoria da Anvisa aprova regulamento sobre rotulagem de alergênicos
Índice da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, indica que queda foi de 3,3% no mês passado, mas aumento anual foi de 8,2% em comparação a 2016.

 

 

O preço dos alimentos caiu em dezembro puxado por forte queda das oleaginosas e dos derivados de leite. A informação consta do Índice do Preço dos Alimentos, divulgado pela FAO, nesta quinta-feira.

 

 

O índice registrou 169,8 pontos no mês passado, uma queda de 3,3% se comparado ao mês anterior.

 

 

Brasil

 

 

Mas de acordo com a FAO, os consumidores tiveram que pagar mais pela comida em 2017, mais de 8% do que desembolsavam em 2016.

 

 

Em dezembro, os derivados de leite baixaram 9,7% com a queda de leite em pó integral e desnatado assim com o queijo e manteiga.

 

 

Já os óleos vegetais caíram 5,6% com a redução dos preços para o óleo de palmito.

 

 

Preços

 

 

O açúcar também ficou mais barato nas prateleiras devido ao aumento da oferta. Na média anual de 2017, a redução foi de 11,2% alavancada por uma larga colheita no Brasil, o maior produtor de açúcar do mundo.

 

 

Com relação aos cereais, o preço manteve-se estável pelo terceiro mês consecutivo. Houve leve queda no preço do trigo, mas milho e arroz continuaram no mesmo patamar.

 

 

A vasta oferta de carne bovina levou a uma redução dos preços em dezembro para os consumidores do produto.

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da Rádio ONU de Nova York