Internacional: Diretora do FMI Christine Lagarde encara corte Francesa por negligência durante o governo Nicolas Sarkozy

Diretora do FMI Christine Lagarde encara corte Francesa por negligência durante o governo Nicolas Sarkozy

 

A poderosa diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, que ocupou o cargo de ministra da economia francesa (2007 a 2012), enfrentará hoje (12) a Corte de Justiça da República, ela é acusada de “negligência” em relação a arbitragem que levou ao desvio de recursos públicos em um organismo que estava sobre a responsabilidade da pasta que ocupava.

 

 

 

O fato ocorreu no governo Nicolas Sarkozy, Lagarde teria ratificado uma decisão que resultou no pagamento de uma indenização de € 403 milhões ao empresário Bernard Tapie (2007 – 2008). Durante quase vinte anos, ele havia movido uma ação contra o banco Crédit Lyonnais, controlado pelo Estado, acusando a instituição financeira de tê-lo prejudicado na operação de venda da Adidas, que pertenceu ao seu grupo empresarial.

 

 

 

 
Para os magistrados franceses que avaliaram o caso e instruíram o caso na Corte de Justiça da República, foi, no entanto, marcada por uma série de “negligências graves”, segundo o Le Parisien. A decisão foi anulada posteriormente, por meio de um recurso apresentado no governo de François Hollande. O suposto desvio de dinheiro público teria favorecido outros membros da administração Sarkozy, como o ex-chefe de gabinete de Lagarde, Stéphane Richard, que também responde a um processo judicial.

 

 

 

 
Lagarde nega ter sido negligente. Segundo o diário Le Figaro, afirmou que seu advogado irá pedir o adiamento da sentença, amparado no argumento de que a Justiça ainda não estabeleceu o desvio de dinheiro público. Mas caso Lagarde seja reconhecida culpada, a atual diretora-gerente do FMI poderá ser condenada a um ano de prisão e multa de € 15 mil euros. O julgamento vai até 20 de dezembro. Em julho, Lagarde foi reeleita para um mandato de cinco anos à frente do FMI.

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes de Agências Internacionais e da RFI.