Internacional: Agência atômica da ONU divulga novo relatório sobre o acidente de Fukushima no Japão

Escombros da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi causados por terremoto e tsunami em 2011. Foto: AIEA / Gill Tudor
Escombros da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi causados por terremoto e tsunami em 2011. Foto: AIEA / Gill Tudor

 

 

Um novo relatório sobre o acidente nuclear de 2011 na área de Fukushima, leste do Japão, e dois acordos relativos à criação de uma reserva de urânio de baixo enriquecimento da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), estavam entre os principais pontos destacados pelo diretor-geral Yukiya Amano ao Conselho de Administração da Agência.

 

 

“O relatório representa uma avaliação fidedigna, factual e equilibrada do que aconteceu em Fukushima Daiichi, que também deve ser acessível para um público não-técnico”, disse Amano em seu discurso de abertura.

 

 

 

 

“Não pode haver qualquer motivo para complacência sobre segurança nuclear em todo o país. Alguns dos fatores que contribuíram para o acidente de Fukushima Daiichi não foram exclusivas do Japão. Questionamento contínuo e abertura para aprender com a experiência são fundamentais para a cultura de segurança e essenciais para todos os envolvidos na energia nuclear. A segurança deve sempre vir em primeiro lugar”, disse.

 

 

 

 

O diretor-geral também destacou dois acordos fundamentais submetidas à aprovação do Conselho: um Acordo de Estado anfitrião entre a AIEA e o Cazaquistão sobre o estabelecimento de uma reserva de urânio de enriquecimento da AIEA nesse país; e um projeto de acordo de trânsito entre a agência e a Rússia, que vai permitir a AIEA transportar o urânio através do país para alimentar e retirá-lo da reserva.

 

 

 

 

O depósito irá fornecer combustível para os Estados-membros no caso de eles não poderem obter urânio de baixo enriquecimento para a geração de energia nuclear no mercado comercial global.

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes da ONU