FIFAgate – Soccer’s Rot: Romário abre o verbo e fala à RFI que “Blatter é cara de pau”.

Senador Romário afirma que prisão de dirigentes da Fifa pode significar o início de mudanças no futebolMarcelo Camargo/Agência Brasil
Senador Romário afirma que prisão de dirigentes da Fifa pode significar o início de mudanças no futebol – Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

 

 

Com mil gols na carreira, Romário quer comemorar o 1001° em outro campo – o Congresso. O senador do PSB pode se tornar o relator da CPI que vai investigar a corrupção no futebol brasileiro. Em meio ao escândalo na Fifa, o “Baixinho” conseguiu assinaturas suficientes para abrir uma comissão de inquérito no Senado e pretende virar o grande investigador da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Tentativa que havia sido frustrada na Câmara, quando ele era deputado. Agora Romário pretende convocar os principais cartolas da CBF e vai além: quer chamar até o presidente da Fifa, Joseph Blatter, para depor.

 

 

Luciana Marques, em colaboração especial à RFI

 

 

 

Sem papas na língua, o campeão da Copa de 94 diz o que pensa sobre a CBF e a Fifa nesta entrevista exclusiva à RFI.

 

 

 

Qual o foco da CPI?

 

 

O foco da CPI é a moralização do futebol. E, para a moralização do futebol, tem que passar pela CBF, pelas federações de futebol, que são 27 no país, e pelos clubes das séries A, B, C e D. No geral, eu acredito que a gente vai poder fazer uma “repaginação” completa do futebol brasileiro.

 

 

 

O sr. pretende convocar o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e o ex-presidente Ricardo Teixeira à CPI?

 

 

 

O que eu posso adiantar é que esses dois serão os primeiros a serem convocados. O primeiro ex, que é o Marin, está preso, não poderá vir. Mas o Ricardo Teixeira e, se possível, também o próprio João Havelange, dependendo da saúde. Eles virão aqui, sim, para prestar seus depoimentos, é obrigação deles.

 

 

 

Representantes da Fifa também?

 

 

 

Se depender da minha vontade, se a gente tiver força para isso, se tiver dentro dos nossos direitos, gostaria muito que o Blatter viesse aqui, que o Jérôme Valcke viesse aqui depor sobre o futebol brasileiro, sobre a CBF e, aproveitando, sobre a Fifa também.

 

 

 

Como o sr. avalia as prisões que atingiram cartolas da Fifa e empresários?

 

 

 

Na minha opinião, essas pessoas deveriam ter sido presas há muito tempo, inclusive o presidente Joseph Blatter e o secretário Jérôme Valcke. Mas eu acredito que algumas provas aparecerão no curso dessas investigações e eles acabem também na cadeia, que é o lugar deles, porque são com certeza os principais responsáveis por essa corrupção que existe dentro da Fifa.

 

 

 

O que o senhor acha da reeleição de Blatter?

 

 

 

 

É totalmente cara de pau, totalmente fora de ética. Vai ser o quinto mandato – ele já esta há quase 20 anos no poder. Isso é um absurdo, é realmente uma das coisas que fazem mal ao futebol mundial. A figura do Blatter faz mal e, essa posição como presidente, pior ainda.

 

 

 

O senhor acha que a investigação do FBI vai atingir ainda mais a CBF?

 

 

 

A CBF é realmente a instituição, depois da Fifa, mais corrupta do futebol mundial. E lugar de corrupto definitivamente tem que ser na cadeia. Os caras roubam e se enriquecem ilicitamente, eles têm que pagar pelo seu crime.E eu espero que todos eles sejam presos. Todos os envolvidos.

 

 

 

A CPI vai pedir documentos do FBI sobre a Fifa e a CBF?

 

 

 

Pedirei todos os documentos necessários nos últimos dez anos e tudo o que aconteceu na vida da CBF: contratos de empresas atuais, contratos que já terminaram, membros que participaram das administrações do Ricardo Teixeira para cá, todos esses virão aqui responder. Se depender de mim essa CPI, principalmente se eu for o relator, vou fazer o meu papel. Vai ser um relatório sério, honesto e benéfico para o futebol brasileiro.

 

 

 

Como jogador de futebol, o sr. sabia da corrupção na CBF?

 

 

 

Como jogador de futebol, é muito difícil a gente ver isso, o que acontece. A gente só está na CBF quando é convocado, o maior tempo que a gente passa é nos nossos clubes. Então, por exemplo, numa Copa do Mundo, numa Copa América, numa Copa das Confederações, quando tem uma competição mais prolongada, a gente fica mais próximo das pessoas da CBF, mas a gente não consegue identificar. Os jogadores hoje, por mais que eles saibam o que está acontecendo, eles vão dizer o seguinte: “o que eu sei é o que eu tenho ouvido, o que eu tenho visto, tenho lido nos jornais”. E é realmente verdade. Nos últimos quatro anos, me tornei senador e, pela imunidade, pela possibilidade de poder fazer alguns levantamentos, algo que não se faz como cidadão comum, eu comecei a ver o mal que a CBF faz para o futebol brasileiro. E a corrupção que existe lá dentro realmente é uma coisa impressionante.

 

 

 
Quem pode ser alvo da CPI?

 

 

 

Essa CPI tem a possibilidade de colocar todo o mundo de ruim no futebol dentro disso. E consequentemente eu posso te afirmar que existem parlamentares. Não sei se deputados e senadores, só deputados ou só senadores, porque eles fazem parte ou faziam parte das federações e dos clubes – e alguns ainda fazem. Pelo menos convocados aqui eles serão, no mínimo por mim.

 

 

 

Quais parlamentares?

 

 

 

 

Todos aqueles que a gente fizer um levantamento e estiverem envolvidos em coisas que não são corretas no futebol, a gente vai chamar. Não posso te dizer nenhum nome ainda porque eu ainda não tenho esses documentos.

 

 

 

O senhor acha que as Copas da Rússia e do Catar foram compradas?

 

 

 

Acho não, tenho certeza, tanto que o FBI tem provado isso. Não sei se a do Brasil foi comprada, mas que houve muito roubo na Copa do Brasil, com certeza também houve.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações provenientes da RFI