Fifagate: Executivo argentino envolvido em escândalo da Fifa se entrega na Itália

Alejandro Burzaco envolvido em escândalo da Fifa se entrega na Itália
Alejandro Burzaco envolvido em escândalo da Fifa se entrega na Itália

 

 

 

Alejandro Burzaco, um dos três fugitivos argentinos procurados pela Justiça americana por envolvimento no escândalo da Federação Internacional de Futebol (Fifa), se entregou nesta terça-feira (9) à polícia da Itália.

 

 

Em entrevista à rádio argentina La Red, o chefe da polícia de Bolzano, no Norte da Itália, Giussepe Ricario, informou que o executivo, que também tem passaporte italiano, se apresentou na delegacia de manhã, acompanhado de dois advogados.

 

 

 

 

Burzaco é presidente da empresa de marketing esportivo Torneos y Competencias. Ele é suspeito de irregularidades na atribuição de direitos de transmissão de competições de futebol para a América Latina. O argentino continua detido na cidade italiana, que faz fronteira com a Suíça, e pode prestar depoimento nas próximas horas a um juiz local.

 

 

 

 

Segundo a imprensa argentina, Burzaco estava em Zurique no dia em que uma operação da polícia suíça prendeu vários dirigentes da Fifa. No entanto, o executivo argentino não estava em seu quarto de hotel durante a operação.

 

 

 

 

A pedido da Justiça dos Estados Unidos, a Interpol emitiu na semana passada um alerta internacional para a prisão de dois ex-dirigentes da Fifa e quatro executivos acusados de extorsão, conspiração e corrupção. Entre os procurados está o brasileiro José Margulies, dirigente da empresa Valente Corp. e Somerton.

 

 

 

 

Os dois ex-dirigentes da Fifa procurados são o ex-vice-presidente Jack Warner, de Trinidad e Tobago, e o ex-membro do Comitê Executivo da entidade Nicolás Leoz, do Paraguai. Além de Buzarco, também estão na lista os argentinos Hugo Jinkis e Mariano Jinkis, dirigentes da empresa Full Play Group S.A, de marketing esportivo.

 

 

 

 

 

Fonte: Da Redação com informações provenientes de Agências Nacionais e Internacionais, EBC e da RFI