Epidemia de Zika: Colômbia confirma primeiro caso de microcefalia ligada ao vírus Zika

Rio Grande do Sul suspende uso de larvicida Pyriproxyfen no combate ao mosquito Aedes, após suspeita dele ser o causador da microcefalia.
Colômbia confirma primeiro caso de microcefalia ligada ao vírus Zika

 

 

Autoridades de saúde da Colômbia anunciaram hoje (24) o primeiro caso de um feto com malformção, cuja mãe foi infectada pelo vírus Zika. De acordo com o médico Juan José Alvarado, a gestante de 18 anos é da cidade de Popayán, no sudoeste do país e interrompeu a gravidez, depois que exames clínicos comprovaram a malformação fetal.

 

 

O Instituto Nacional de Saúde da Colômbia “confirmou a suspeita, depois que estudos realizados no líquido amniótico da mãe, demonstraram que o bebê estava infectado pelo vírus”. De acordo com as declarações de Alvarado, o feto tinha alterações cerebrais, microcefalia, destruição de tecidos e alterações no nível craneano.

 

 

 

A Secretaria de Saúde de Cauca informou que o caso ocorreu na cidade de El Bordo e a interrupção da gravidez foi uma decisão voluntária da jovem.

 

 

Este é o primeiro caso confirmado no país e, para as autoridades, “demonstra que o vírus pode afetar isoladamente o bebê no primeiro trimestre de gravidez e, possivelmente, durante o segundo trimestre”.

 

 

 

O vírus Zika já infectou mais de 37 mil pessoas na Colômbia e deste total mais de 6 mil mulheres gestantes em diferentes regiões do país.

 

 
Da Redação com informações da Agência Brasil